Indaiatuba

Ônibus causam congestionamento no desvio

CONGESTIONAMENTO

Uma alteração na logística de ônibus escolares pode ser a causa de transtornos na rotina de quem utiliza o desvio do pedágio nos períodos de entrada e saída escolares. O congestionamento, que já é frequente na via, piorou quando o proprietário de um pesqueiro no local não permitiu mais que os veículos ficassem estacionados na área de seu estabelecimento, e agora os veículos ficam parados na via de duas mãos.

Durante cerca de dez anos, os oito ônibus escolares ficaram estacionados no terreno do pesqueiro, revela o proprietário do local, que preferiu não ter seu nome divulgado. "Eles ficavam ali o dia todo e eu nunca cobrei nada por isso", confirma o dono do lugar. "Desde o final do ano passado venho falando com a Prefeitura e dizendo que não queria mais os veículos ali, pois pretendia usar o espaço exclusivamente para o pesqueiro; mas, eles nunca tomaram nenhuma providência", alega.

O comerciante conta ainda que, algumas vezes, o portão do estacionamento era quebrado ou deixado sem tranca. "Já sofremos três assaltos à mão armada; além disso, temos muitas despesas e fica difícil manter os ônibus aqui", explica.

A decisão de impedir a entrada dos ônibus na área de sua propriedade foi tomada no final das férias escolares. "No dia 25 de julho eu fechei o portão e interditei a entrada", lembra o comerciante.

Afunilados

Para os motoristas que necessitam passar pelo desvio, principalmente no final da tarde, a presença dos ônibus estacionados na pista estreita sinaliza dor de cabeça. De acordo com eles, o congestionamento se inicia já na entrada do desvio, na rodovia. E para quem vai sentido Campinas, o trânsito começa a parar no ponto da entrada do cemitério.

"Eu não pego o desvio todos os dias, mas, ultimamente, das vezes em que passei por ali, estava bem parado", comenta a analista de importação Edna Sousa. "O local já é difícil quando está normal, devido às inúmeras lombadas e movimento intenso de carros; imagine se esta situação demorar para se resolver; apesar de tudo ter de pagar o pedágio é ainda pior", avalia.

Os motoristas dos ônibus escolares, por sua vez, relataram que o período de parada para a entrada das crianças é de dez minutos, tempo em que o fluxo de veículos no trecho se torna intenso. Um deles, inclusive, disse que antes, quando estacionavam no pesqueiro, era até mais complicado para o trânsito, pois eles chegavam bem mais cedo e ficavam parados ali, aguardando.

Mesmo levando cerca de dez minutos parados em frente à escola, este tempo parece uma eternidade para quem está no congestionamento. "É complicado, porque passam por ali também os ônibus circulares, o que agrava a situação", completa Edna.

 Estudo

A Tribuna procurou a Prefeitura para questionar sobre a situação dos ônibus que atendem as crianças da escola do desvio; a reportagem perguntou por que o poder público não atendeu à solicitação feita há alguns meses pelo comerciante, e se os veículos escolares ficarão parados em outro local.

Entretanto, a assessoria respondeu apenas que a Prefeitura estuda uma solução para o problema e, enquanto isso, o embarque e desembarque das crianças são feitos na calçada em frente à escola.


Fonte:


Notícias relevantes: