Indaiatuba

Indaiatuba obtém eficiência em Saneamento e Educação

RANKING

Indaiatuba tem "alguma eficiência", segundo o Ranking de Eficiência dos Municípios - Folha (REM-F). O estudo foi desenvolvido pelo jornal Folha de São Paulo e teve o intuito de aferir quais prefeituras no Brasil entregam mais serviços básicos à população utilizando menos recursos financeiros. O veículo divulgou os resultados no último domingo e coloca a cidade em 2.461º lugar no país.

O levantamento considerou o atendimento municipal nas áreas da Educação, Saneamento e Saúde; e a receita per capita foi o fator determinante.

Os componentes são somados e depois divididos pela receita per capita de cada município, o que resulta no ranking de eficiência no gasto público. O levantamento cobriu 5.281 municípios (95% do total) e utilizou os dados mais recentes disponíveis para formar sua base de dimensão. O estudo dividiu os municípios em quatro categorias: eficiente; alguma eficiência; pouca eficiência e ineficiente.

A maior pontuação da cidade foi no setor de Saneamento, no qual obteve a média de 0,956 (a média no Brasil é de 0,567); em seguida, vem Educação, com média de 0,695 (no País, é de até 0,509); e, na Saúde a média ficou um pouco abaixo, com 0,238 - a média brasileira é de 0,500 - de acordo com a pesquisa REM-F.

Em Saúde, o ranking contabilizou a cobertura da população por equipes de atenção básica e o total de médicos por habitante. Na Educação, foram considerados os percentuais de crianças atendidas por creches e escolas municipais. Já em Saneamento, o ranking estima os percentuais de domicílios que possuem redes de água e esgoto e contam com sistemas de coleta de lixo.

Raio-X

Além dos indicadores de eficiência, o estudo da Folha traz ainda outros, tais como o grau de dependência dos recursos da União e dos Estados, o aumento do funcionalismo na última década e em quais áreas a cidade se sai melhor ou pior.Em 2013, Indaiatuba contou com receita total de R$ 791,5 milhões, sendo o equivalente a R$ 3.565 por habitante, e 49% de transferências públicas. O estudo revelou ainda que, naquele ano, o município destinou 27% do dinheiro para Educação; 23% para Saúde e 1% para o Legislativo.

O Raio-X de Indaiatuba mostra que, em 2010, 89% das crianças entre 4 e 5 anos de idade estavam na escola; e, no mesmo ano, 99% dos domicílios tinham serviço de coleta de lixo, e 93% recebiam tratamento de esgoto.

A Tribuna convidou a Prefeitura de Indaiatuba para comentar os indicadores do estudo, porém, até o fechamento desta edição, não obteve retorno.

No final de julho, o Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF) mostrou que Indaiatuba atingiu o índice de 0,8516, sendo o 1º lugar da Região Metropolitana de Campinas (RMC), a 3ª do estado de São Paulo e 8º no Brasil em melhor gestão fiscal.

Endereço

A Folha disponibiliza a consulta no REM-F: www1.folhauol.com.br/remf/.


Fonte:


Notícias relevantes: