Indaiatuba

Começa campanha nacional de multivacinação

Teve início ontem a campanha nacional de multivacinação, realizada pelo governo federal. Além das crianças até 5 anos de idade, desta vez, o Sistema Único de Saúde (SUS) irá disponibilizar vacinas para adolescentes entre 9 e 15 anos incompletos.

A campanha segue até o dia 30 de setembro, e tem o objetivo de combater as doenças imunopreveníveis e de promover a atualização da carteira de vacinação. A campanha segue até o dia 30 de setembro, e tem o objetivo de combater as doenças imunopreveníveis e de promover a atualização da carteira de vacinação.

A multivacinação contempla os seguintes tipos de vacinas: rotavírus, contra um dos principais agentes causadores de diarreia; poliomielite (VIP e VOP), contra a paralisia infantil; pentavalente, contra a difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e Haemophilus influenza tipo B (Hib); pneumocócica conjugada 10-valente; meningocócica conjugada C; trivalente, contra sarampo, caxumba e rubéola; além das vacinas contra febre amarela, gripe, varicela, hepatite A e a imunização contra o HPV, que previne o câncer de colo de útero e verrugas genitais.

A Secretaria Municipal de Saúde não informou quantas doses foram disponibilizadas no município, e nem qual é a meta para a imunização de crianças e adolescentes. As doses estão disponíveis gratuitamente nos postos de saúde.

No sábado, dia 24, ocorre a mobilização nacional, e a campanha tem o objetivo de resgatar os menores não vacinados ou que necessitem completar o esquema de imunização. A meta é a de atualizar a caderneta de vacinação das crianças e dos adolescentes até os 14 anos, 11 meses e 29 dias, conforme o calendário de vacinas.

Entre os objetivos específicos, o Ministério da Saúde pretende oferecer acesso às vacinas disponibilizadas pelo Programa Nacional de Imunização (PNI); melhorar as coberturas vacinais e a homogeneidade; e contribuir na redução da incidência das doenças que podem ser prevenidas.

Mudanças

Segundo o Ministério da Saúde (MS), foram distribuídas em todo o País 26,8 milhões de doses, sendo 7,6 milhões para vacinação de rotina e 19,2 milhões extras para a campanha. Haverá aproximadamente 36 mil postos fixos e mais de 300 mil profissionais de saúde envolvidos na mobilização. Já no início do ano, o MS mudou o esquema vacinal de quatro tipos: poliomielite, meningocócica C (conjugada), HPV e pneumocócica 10 valente.

No caso da imunização contra a pólio, passou a ser de três doses da vacina injetável (2, 4 e 6 meses) e duas doses de reforço com a vacina oral. O reforço contra a meningo C passou a ser a partir dos 12 meses, e pode ser feito até os 4 anos. As duas primeiras doses continuam sendo entre os três e cinco meses.

A imunização contra o HPV passou de três para duas doses, com intervalo de seis meses para meninas saudáveis, de 9 a 14 anos. Em relação às meninas de 9 a 26 anos que convivem com o HIV, devem permanecer no esquema de três doses. Já a pneumo 10 agora é ministrada em duas doses (aos dois e quatro meses), com reforço aos 12 meses; porém, pode ser recebido até os 4 anos.


Fonte:


Notícias relevantes: