Indaiatuba

Fiscalização deve autorizar mais de 40 novos feirantes

Segundo Melo, a Fiscalização faz o que está ao seu alcance para atender aos 75 feirantes que a cidade possui. "Assim que passar a fase da crise, este número deverá subir para 115, pois estão em andamento muitos pedidos de credenciamento", revelou.

Melo admitiu, no entanto, que o movimento nas feiras livres diminuiu devido à concorrência de grandes redes de supermercados. "Os feirantes não têm condições de competir", ponderou. "Eu já aconselhei várias vezes para que eles se unam mais e formem uma associação, a fim de conseguirem um preço melhor nos produtos e repassem aos consumidores, que é o que as pessoas mais buscam hoje", disse. "Nós temos fornecedores na cidade, dispostos a cobrar um preço justo, mas que necessitam de um determinado volume de pedidos. Sempre que o feirante vai buscar os produtos fora, tem um custo maior, pois há combustível, desgaste do veículo, alimentação etc e as perdas acabam sendo muito grandes".

Comércio móvel

Questionado sobre a possibilidade da venda de hortifrúti por meio de ônibus ou outro veículo adaptado, Melo disse que foi procurado por duas pessoas, mas há alguns requisitos a se observar. "A pessoa entra como vendedor ambulante, pessoa física, pois a lei determina que pessoa jurídica não pode atuar no comércio de rua. Não proibimos, porém, a pessoa terá de se adequar", concluiu.


Fonte:


Notícias relevantes: