Indaiatuba

Cebolinha prepara balanço de seu mandato

A poucas sessões de acabar o ano, em um breve balanço de sua gestão à frente da Câmara, o presidente da Casa, Luiz Alberto Pereira, o Cebolinha (PMDB), afirma que sempre realizarou um trabalho sério, além de um manter sempre um bom relacionamento com a oposição. "Até mesmo nas questões envolvendo o Reinaldo [Nogueira], nós chegamos a um entendimento", comenta.

"Em todo esse tempo, nunca nos negamos a votar um projeto, e nem tivemos qualquer antagonismo com o Executivo", complementa. "Os vereadores exercem um poder democrático importante, e a Câmara é o ponto da democracia no município."

Sobre as manifestações ocorridas em algumas sessões, Cebolinha afirma que respeita a todas, desde que não extrapolem o viés da cidadania. "Quebradeira não é manifestação, é falta de respeito, e isso não é democracia", assinala.

Ele diz também que se sente muito honrado em presidir a casa, e salienta que, enquanto vereador não possui plenos poderes. "As pessoas confundem muito a função do vereador; nem tudo eles podem fazer, como por exemplo, criar leis que aumentem salários ou que eliminem impostos", ressalta Cebolinha.

Voto livre

Sobre os resultados das recentes eleições municipais, não apenas em Indaiatuba, mas em todo o Brasil, o presidente da Câmara fala que o povo sinalizou seu anseio por um novo rumo. "Os eleitores mostraram claramente que estão cansados e tentaram a mudança pelo meio que tinham em mãos, ou seja, o voto", aponta.

Em relação ao número expressivo de votos nulos e brancos, Cebolinha acrescenta que é um direito da população; porém, esta atitude nas urnas diz um pouco mais. "A quantidade de nulos e brancos demonstra simplesmente que faltou poder de convencimento por parte da classe política", arremata. "Aliás, eu penso que o voto deveria ser livre; as pessoas deveriam votar se quisessem", declara.

Perspectivas

Eleito como vereador para os próximos quatro anos, Cebolinha diz apenas que pretende continuar trabalhando pelo melhor. "Vamos auxiliar o Gaspar e trabalhar para melhorar a situação, pois, não existem vantagens nas coisas ruins: quanto pior estiver, pior será para todo mundo", garante.

Entre os pontos que mais merecem atenção no município, o vereador aponta a Saúde e a Economia. "É preciso que estejamos atentos, porque lidar com a dor das pessoas é uma questão delicada, que demanda mais cuidado. No tocante à economia, todos os municípios devem encontrar outros meios urgente, caso contrário a situação se tornará insustentável", alerta.


Fonte:


Notícias relevantes: