Indaiatuba

Verificar documentação é fundamental antes de comprar carro usado

Veículos usados com preços atrativos, abaixo do valor de mercado, representam uma tentação para muitos consumidores. No entanto, o Detran-SP salienta que a oferta pode ser um golpe.

Conforme a assessoria do órgão, após roubar os veículos, os bandidos clonam a placa e a documentação de outro automóvel semelhante ao cadastro regular e, em seguida anunciam o produto. Normalmente, ofertas tentadoras são anunciadas na internet. O crime vem sendo investigado pela Polícia Civil, que já prendeu parte da quadrilha e tenta agora identificar possíveis vítimas.

Para evitar ciladas desse tipo, ao comprar um veículo usado algumas precauções são necessárias. Antes de fechar negócio, é recomendável submeter o carro ou a moto a uma vistoria de identificação veicular em uma empresa credenciada pelo Detran-SP - a relação de estabelecimentos autorizados pode ser consultada no portal.

Vistoria

Prevista em legislação federal, a vistoria tem como objetivo verificar a autenticidade da identificação do veículo, como chassi e motor, a legitimidade da propriedade, a existência e o funcionamento dos equipamentos obrigatórios, além da preservação das características originais do veículo ou se houve alguma mudança autorizada pelo órgão de trânsito.

O laudo de vistoria tem validade de 60 dias, contados a partir da data da emissão; assim, o documento pode ser utilizado para o processo de transferência de propriedade do veículo. É importante que o próprio comprador realize a vistoria, pois os criminosos costumam fornecer laudos falsos para dar mais credibilidade à transação.

É importante também checar se o veículo possui débitos/restrições no cadastro. No menu Acesse os Serviços Online, no portal do Detran-SP, ou no aplicativo Consultas Detran-SP, o comprador pode facilmente fazer a verificação, bastando informar a placa e o Renavam. A consulta é gratuita e não há necessidade de cadastro.

Além das medidas mencionadas, o Detran-SP orienta levar o veículo a um mecânico de confiança para avaliar as condições gerais, como motor, suspensão e freios. Já a questão do valor do veículo pode ser conferida na tabela da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), disponível em www.fipe.org.br, que apresenta o preço médio cobrado por veículo em âmbito nacional.

Se tudo estiver em ordem e o negócio for fechado, é hora de realizar a transferência do documento para o nome do novo proprietário. O prazo para o procedimento é de 30 dias corridos a partir da data de preenchimento do Certificado de Registro de Veículo (CRV). O descumprimento do prazo incorre em infração grave, com a perda de cinco pontos na Habilitação e multa de R$ 127,69.


Fonte:


Notícias relevantes: