Indaiatuba

Campanha Janeiro Dourado chama atenção para a necessidade de uma avaliação médica

A Sociedade Paulista de Medicina Desportiva (Spamde) trabalha neste mês a campanha Janeiro Dourado - Porque sua Vida Vale Ouro, um mês para a conscientização da saúde do esportista. Segundo a sociedade, é necessário alertar a população com relação à necessidade da avaliação realizada por um médico do esporte antes de inserir o exercício físico em sua rotina.

Segundo a sociedade, o mês de janeiro foi escolhido por ser o início de temporada para a maioria das equipes esportivas e também porque é quando a maioria das pessoas promete mudar de vida, ser em mais ativas, explica Fernando Bianchini Cardoso, médico do esporte e do exercício e vice-presidente da Spamde.

Em entrevista à Tribuna, Cardoso explica que a primeira preocupação do médico ao realizar uma avaliação pré-esportiva deve ser a de identificar possíveis doenças que possam se agravar com a prática de uma atividade, não só do ponto de vista cardiovascular, mas também osteomuscular e metabólico."Feito isso, orietamos em relação aos cuidados com a intensidade para evitar lesões por sobrecarga e excesso, a qual poderia obrigá-la até mesmo a parar de realizar a atividade, e, orientamos sobre alimentação e hidratação", comenta.

"Quando pensamos em relação ao atestado de aptidão, o ponto principal a ser avaliado é o sistema cardiovascular. Nossa principal preocupação é com a intensidade da atividade a ser realizada e não tanto com o tipo. Porém, na avaliação como um todo, é muito importante prestarmos atenção ao tipo de atividade que será realizada, pois algumas lesões ocorrem mais frequentemente em certas partes do corpo a depender do tipo de atividade. Por exemplo, um corredor deverá ter um cuidado especial com a musculatura dos membros inferiores, enquanto um praticante de crossfit deverá ter cuidados especiais com o ombro".

Quando a pessoa faz uma atividade física que não exige muito do corpo e depois inicia uma atividade mais pesada, Cardoso reforça que deve ser feita uma nova avaliação. "Este seria o cenário ideal, mas infelizmente está muito longe da realidade. A pessoa entra em uma academia para fazer atividade leve, melhorar sua saúde e em poucos meses está treinando pra sua primeira meia-maratona. Na nossa cultura, em que a população só procura o médico porque está doente ou porque a academia exigiu um atestado, o paciente não volta até que uma dessas duas coisas aconteça".

Para a pessoa que iniciou uma atividade física sem passar por um médico, Cardoso alerta quantos aos sintomas que podem ser preocupantes. "Uma dor no peito que piora com a atividade física, melhora com o repouso e pode irradiar para pescoço, mandíbula e braço esquerdo devem ser encarada como sinal de alerta e levar a pessoa imediatamente a procurar o médico. A dor relacionada ao treinamento, principalmente à musculação, normalmente acontece no músculo treinado no dia anterior, tem duração de um ou dois dias e piora a movimentação do músculo afetado, deve ser relatada ao seu personal ou instrutor, mas não gera tanta preocupação", orienta.


Fonte:


Notícias relevantes: