Indaiatuba

Orientações para vacinação contra febre amarela

A indicação atual é de seis a nove meses de idade incompletos. A vacina está indicada somente em situação de emergência epidemiológica ou viagem para área de risco.
Nove meses até antes de completar cinco anos, uma dose aos nove meses e uma dose de reforço aos 4 anos. Se a criança não foi vacinada aos 9 meses, deve tomar a vacina e o reforço com um prazo de 30 dias entre as doses.
Crianças a partir de 5 anos que receberam duas doses da vacina estão imunizadas e não precisam mais se vacinar. Aquelas que receberam uma dose única da vacina devem tomar o reforço, ainda que sejam adultos. Já quem nunca foi vacinado ou não tem comprovante de vacinação, precisa administrar a primeira dose e um reforço após 10 anos.
Para quem tem 60 anos e mais, nunca foi vacinada ou não tem comprovante de vacinação, a dose é recomendada apenas após avaliação médica.
Para gestantes, a vacinação é contraindicada. Na impossibilidade de adiar a vacinação, como em situações de emergência epidemiológica ou viagem para área de risco de contrair doença, o médico deverá avaliar.
Para lactantes (mães que amamentam) de crianças com até seis meses de idade, a vacinação é contraindicada. Caso tenham recebido a vacina, o aleitamento materno deve ser suspenso por 28 dias após a aplicação da dose.
Quem fizer viagens internacionais deve seguir a recomendação do Regulamento Sanitário Internacional e para viagens para áreas com recomendação de vacina no Brasil, é preciso tomar uma dose pelo menos 10 dias antes da viagem, no caso de primeira vacinação. O prazo de 10 dias não se aplica no caso de revacinação.
Certificados
O Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP) somente para pessoas vacinadas no município, é feito no Hospital Dia, localizada na Avenida Visconde de Indaiatuba, 199, Parque Boa Esperança.
Os viajantes devem ir ao Hospital Dia após o preenchimento do cadastro no site www.anvisa.gov.br/viajante. O documento é necessário para viagens a determinados países, conforme solicitação da Organização Mundial de Saúde (OMS). A lista das localidades com necessidade do certificado pode ser encontrada no site http://www.who.int/ith/chapters/ith2012en_annexes.pdf.


Fonte:


Notícias relevantes: