Indaiatuba

Obras permitirão tratar 100% do esgoto

Dentro de três anos, a população da cidade poderá contar com o tratamento de esgoto em 100%. O Serviço Autônomo de Água e Esgotos (Saae) de Indaiatuba divulgou esta semana o nome da empresa vencedora da licitação e a Ordem de Serviço (OS) deverá ser emitida já em fevereiro.

O investimento para a expansão da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Mário Araldo Candello, no Distrito Industrial Vitória Rossi Martini, é de R$ 69.244.112,80, e os recursos são originados integralmente da autarquia. A empresa vencedora da licitação é a construtora Elevação Ltda.

Segundo o superintendente da autarquia, o engenheiro Sandro Coral, o Saae busca ainda recursos dos governos estadual e federal. "Já apresentamos o projeto ao Ministério das Cidades e a resposta deverá vir após o dia 10 de fevereiro", revela.

A emissão da OS para início da obra também está prevista para o próximo mês, contudo, é necessário fechar antes o recurso adicional. "Não podemos pedir verba dos governos depois de emitir a ordem de serviço", esclarece Coral.

O prazo de conclusão dos trabalhos é de três anos. "Há muitos serviços previstos em contrato, e este é um deles. No Mirim, o bombeamento do esgoto já está funcionando; e o interceptor de 15 quilômetros na margem direita do Rio Jundiaí, concluído em setembro, que coleta o esgoto de toda a região da estação Mário Candello, no Distrito, até o Tombadouro", cita o superintendente.

Em dezembro do ano passado, a autarquia finalizou a ETE da barragem do Rio Capivari-Mirim, que recebe o efluente gerado na Zona Norte e faz o bombeamento para a ETE do Distrito. "Esta é a primeira do total de três elevatórias que, junto a 45 quilômetros de redes coletoras, emissários e linhas de recalque, irão beneficiar toda a região, contribuindo com a coleta e afastamento do esgoto gerado", complementa Coral.

Modernidade

Para a ampliação da ETE Mário Candello o Saae recebeu recursos por meio do Fundo Estadual de Recursos Hídricos (Fehidro), e o valor é referente à aquisição e montagem de equipamentos para a adequação e ampliação da estação. Entre esses equipamentos estão os sistemas de aeração para tratamento biológico dos tanques 3 e 4 da ETE e máquinas para a estação elevatória de esgoto bruto.

Após sua conclusão, prevista para 2020, a ETE terá capacidade para tratar o esgoto coletado em sua totalidade. Para o superintendente do Saae, que assumiu o cargo no ano passado, após a saída de Nilson Gaspar para a campanha de prefeito, o projeto é um desafio que deverá garantir a melhoria dos serviços da autarquia no município. "Hoje nós fazemos 86% do afastamento do esgoto e nossa missão é continuar trabalhando pela população", declara.

Ocupando uma área de 310 mil metros quadrados, a estação é considerada uma das mais modernas do País baseada em lodos ativados por aeração prolongada de ar difuso. Além das lagoas de aeração, casa dos sopradores, sistema de desidratação de lodo, laboratório de controle de qualidade e subestação de energia que serão ampliados, a unidade irá contar com uma avançada estação de tratamento de água de reuso, que poderá ser utilizada pelas indústrias do Distrito em suas linhas de produção.


Fonte:


Notícias relevantes: