Indaiatuba

Entidade deve ser canal aberto a denúncias

Marcelo destaca três pilares para o trabalho do Observatório Social de Indaiatuba. "Estaremos de olho em licitações, na cobrança pela transparência nas contas públicas e também na fiscalização por amostra de entregas de mercadorias", aponta. "Vamos exercer pressão pela abertura de um número maior de empresas em licitações públicas. Por isso, nenhum integrante do núcleo do Observatório pode ser político ou filiado a partidos políticos".

O Observatório conta com dez pessoas em seu núcleo e 35 no subnúcleo. "Nosso objetivo principal é ajudar o Poder Público a fiscalizar e contribuir na gestão eficiente do dinheiro público", ressalta. "Acredito que o prefeito [Nilson Gaspar] é solidário a esta causa. A sociedade, de forma geral, está mais ativa na cobrança de seus direitos como pagadora de impostos".

Questionado sobre as razões que o levaram a montar o Observatório Social em Indaiatuba, o empresário é direto. "Procuro ter sempre atitude e pensamento positivo. Quando se é negativo, mas não se coloca em ação, então é só reclamação", enfatiza. "Os coronéis começaram nas pequenas cidades. Precisamos cuidar do município, para evitar que a corrupção chegue a níveis mais altos".

O Observatório Social de Indaiatuba promete ser um canal aberto a denúncias, com ferramentas como site e palestras de sensibilização com temas pertinentes. "Queremos fazer palestras nas comunidades e explicar a importância do cidadão no processo democrático". O endereço eletrônico do Observatório ainda não está em funcionamento, mas sua página no Facebook é www.facebook.com/OSBIndaiatuba.


Fonte:


Notícias relevantes: