Indaiatuba

Atrasos na entrega de cartas chegam a três meses

Correios

Novas reclamações de atrasos de correspondências chegaram à Tribuna. Moradores do Bela Vista revelaram que o tempo que ficaram sem a visita dos carteiros chega a três meses. 

Rita Ruz Peres comenta que a caixinha dos Correios ficou vazia por cerca de 90 dias. "Eu fui até o posto dos Correios no bairro Cidade Nova para ver se tinha carta para mim. Eles me disseram que não haviam tido tempo de separar e que era para eu voltar outro dia", conta.

A moradora do Bela Vista fala ainda que os atendentes justificaram o atraso por causa da falta de carteiros. "Nunca vi isso acontecer; todo mundo está reclamando. Eu tive de ir atrás da segunda via das contas para não pagar com juros, mas isso dá muito trabalho, porque nem tudo a gente consegue pegar na internet", explica Rita.

"Eu só queria entender o que está acontecendo, porque ninguém dá uma satisfação para a gente. Na quinta-feira chegou várias correspondências do início de dezembro e janeiro, mas, as de março não vieram. Estou vendo que terei de correr novamente com a segunda via de tudo", critica.

Já Maria Elaíse Trabaquini, que mora no condomínio Paradiso, disse que somente ontem recebeu a correspondência atrasada de dois meses. Ela concorda com a vizinha e fala que o serviço dos Correios piorou ainda mais no final de 2016. "A gente conversa com comerciantes e vizinhos e todo mundo reclama", reforça.

O problema levantado pelos moradores não é apenas em relação às contas, mas também com compras feitas pela internet. Os itens adquiridos demoram muito tempo para chegar, causando transtornos principalmente em datas festivas, quando os presentes têm prazo para entrega.

Medidas

Sobre as reclamações, a assessoria dos Correios mais uma vez respondeu que, embora a distribuição de correspondências (faturas, contas, boletos, mensagens, cartas) não ocorra de forma diária nos bairros de Indaiatuba, a entrega tem sido realizada com regularidade nessas localidades.

Para minimizar os impactos à população e regularizar as entregas nesses bairros, os Correios estão aplicando medidas operacionais. Entre elas, alocação de trabalhadores temporários, redistribuição da carga entre o efetivo e apoio de empregados de outras unidades. A previsão é de que a distribuição domiciliária seja normalizada em março.

Quanto a novas contratações, os Correios estão reavaliando todos os estudos relacionados ao quantitativo da força de trabalho em cada localidade. Somente após a conclusão desses estudos será possível dimensionar a real necessidade de efetivo.

A empresa se coloca à disposição da população pelo Fale com os Correios, no site www.correios.com.br/sobre-correios/fale-com-os-correios/ ou pelo 0800-725-0100.


Fonte:


Notícias relevantes: