Indaiatuba

Parada de vans é "invadida" por pais

A Tribuna recebeu novas denúncias sobre a invasão de veículos particulares nos espaços reservados ao transporte escolar. O fato não é novidade e os condutores de vans afirmam que, desde a última vez em que reclamaram, pouco ou nada mudou.

Um dos motoristas, que prefere não ter seu nome divulgado por temer represálias, conta que a disputa por lugar na porta das escolas já gerou muitas brigas. "No ano passado nós tentamos conscientizar os pais dos alunos de que o local é exclusivo de vans escolares, mas isso só fez causar brigas sérias", lembra.

Ele acrescenta que, a despeito da sinalização presente nos pontos de embarque e desembarque de crianças, os pais insistem em parar seus veículos nesses locais. "Teve uma vez em que um cidadão estava com o carro estacionado na faixa das vans e eu fui pedir a ele que saísse, pois tinha de deixar as crianças e nosso tempo é corrido, já que fazemos o transporte para várias escolas. Ele ficou muito irritado e chegou a me ameaçar; o pior é que isso é muito comum de acontecer com os condutores de transporte escolar", lamenta o profissional.

O homem garante que não há fiscalização suficiente, e que raramente os agentes de trânsito podem ser vistos próximos às escolas tanto nos horários matutinos como nos vespertinos.

Reivindicação

"Lutamos muito para conseguir a área exclusiva de parada das vans", continua o motorista. "Em junho de 2016, o Selone [secretário de Urbanismo e Meio Ambiente - Semurb] comprou nossa briga e fez com que a sinalização fosse implantada - o que foi uma vitória. Porém, a fiscalização do Demutran continua sendo insuficiente, acrescenta. "Também queremos que esses pais reflitam melhor e se conscientizem sobre isso; e esperamos que nenhum evento grave ocorra para chamar a atenção deles",completa o condutor.

Questionada, a Prefeitura respondeu, via assessoria, que existe a fiscalização e que os agentes aplicam multas a quem estaciona em frente às escolas nas faixas exclusivas das vans. Além disso, o poder público admite não haver condições de disponibilizar um agente de trânsito em cada escola. Atualmente, o município conta com cerca de 230 agentes municipais; porém, a Secretaria destaca que as multas são aplicadas por servidores públicos concursados para função específica, entre eles, policiais militares e guardas civis.


Fonte:


Notícias relevantes: