Indaiatuba

Estudantes promovem passeata contra a reforma da Previdência

Estudantes do ensino médio da escola estadual Aurora Escodro Groff promoveram na quinta-feira de manhã uma passeata em protesto contra a reforma da Previdência. Reunidos na Praça Prudente de Moraes, os manifestantes também organizaram um plebiscito para saber a opinião popular sobre o projeto.

"Viemos para a rua também para explicar ao povo o que significa a reforma", declarou a líder estudantil, Camila Aparecida dos Santos. "Muita gente ainda não entendeu direito o que pode acontecer, porque a mídia divulgou notícias sobre a operação Carne Fraca, deixando a reforma em segundo plano", afirmou a estudante.

"O governo Temer quer tirar das escolas o direito à discussão", emendou Maria Izabel S. Silva, também aluna. "A reforma do Ensino Médio já foi um pretexto para impedir nossos debates e aprendizado sobre Sociologia e outras matérias".

As estudantes Layla Cristina F. Almeida e Júlia Carvalho de Araújo opinaram que a proposta que prevê mudanças na Previdência elimina perspectivas de futuro. "Como podemos pensar no amanhã se eles querem que a gente morra sem se aposentar", criticaram as garotas.

Questionados sobre a possibilidade da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) adotar a mesma medida, caso ainda estivesse no poder, os alunos disseram que isso seria pouco provável; apesar de que, em entrevista, Dilma mencionou a necessidade de reformas na Previdência Social.

Os estudantes destacaram que os alunos das escolas Professora Helena de Campos Camargo e Dom José de Camargo Barros ofereceram apoio ao movimento. "Não somos contra a reforma, mas o modo como está sendo conduzida", explicou o professor de História, Marcelo Cerdan.

Projeto

Após se reunirem na praça, os manifestantes conclamaram a população para participar do plebiscito sobre a reforma da Previdência. Conforme lideranças sindicais, a reforma atinge diretamente os servidores públicos, pois, a mudança prevê, entre outras coisas, o aumento da idade mínima para 65 anos e o fim da integralidade e paridade no valor e reajuste dos benefícios.


Fonte:


Notícias relevantes: