Indaiatuba

Alunos do Objetivo ganham bronze na OPF

Dois alunos do Ensino Fundamental II, do Colégio Objetivo Indaiatuba, foram convocados para a premiação da Olimpíada Paulista de Física 2016 (OPF 2016) realizada no dia 25 de março, no Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), próximo ao ITA, em São José dos Campos-SP.

Os alunos João Octávio Modesto de Andrade e Vitor Kenji Okano Yoshida conquistaram a medalha de bronze. Ao todo 15 mil estudantes de todo o estado de São Paulo participaram da 1ª fase; 1,5 mil da fase final e apenas 150 foram premiados com medalhas. "O resultado é muito bom, porque a Olimpíada Paulista de Física é muito difícil e tem poucas medalhas, em média 23 por série. Sempre tivemos medalhistas nessa olimpíada e isso é muito satisfatório", comemora Luiz Carlos Marques, professor de Física e coordenador de Olimpíadas Científicas do Objetivo Indaiatuba.

Torneio Nacional de Robótica

A equipe Bazinga, do Colégio Objetivo Indaiatuba, participou da etapa nacional do Torneio de Robótica FLL realizado em Taguatinga-DF, entre os dias 17 e 19 de março. A experiência foi de grande importância para o grupo, que passou por reestruturação devido à idade limite dos atletas que deixaram a equipe nesse ano, que é muito jovem e enfrentou adversários experientes. "Com certeza nossos alunos aprenderam muito e aproveitaram cada oportunidade para trabalhar em equipe e superar desafios. Trouxeram na bagagem muito aprendizado e na memória momentos inesquecíveis", comenta Loide Rosa, mantenedora do Colégio Objetivo Indaiatuba, que acompanhou a equipe.

Coral

Reconhecida por muitos pesquisadores pelos benefícios que proporciona às crianças desde os primeiros anos escolares, a música estimula o desenvolvimento da mente e do raciocínio, promove o equilíbrio e o bem-estar, facilitando também a concentração. Estudos apontam que as crianças que realizam trabalhos com a música apresentam melhor desempenho na escola e na vida.

O Colégio Objetivo Indaiatuba, além das aulas de musicalização desde o Berçário até o Ensino Fundamental I, oferece, há mais de 10 anos, aulas de canto coral para alunos do Ensino Fundamental II e Médio e também para pais de alunos.

A professora responsável por essas aulas é a maestrina, cantora e arranjadora Sônia Di Morais. Ela ressalta que nessa atividade, a proposta vai além de aprender a cantar. "Nessas aulas, desenvolvemos a prática da música através da voz, com a finalidade de conhecer e experimentar os parâmetros sonoros que compõem a música. Os alunos desenvolvem a concentração, a memória, o raciocínio, a expressão e a criatividade. Além disso, nas aulas de canto coral, a capacidade de apreciação musical e o repertório musical são ampliados", explica a professora. "Não sei o que seria a minha vida sem música, porque tudo o que eu faço, faço ouvindo música, até estudar. Então decidi entrar no coral. Eu adoro cantar", afirma a aluna da 1ª série do Ensino Médio diurno, Paola Villaron Pires.

Nas aulas de coral os alunos ainda desenvolvem atitudes de comprometimento, responsabilidade, organização, respeito ao próximo e trabalho em equipe. Sônia explica que a possibilidade da participação dos pais agrega ainda mais valor à atividade. "O nosso objetivo é criar um vínculo afetivo artístico e a convivência de distintas gerações, o que faz com que o universo de um participe do outro, encontrem-se e se relacionem entre si, através da música", ressalta a maestrina.


Fonte:


Notícias relevantes: