Indaiatuba

Falha de operadora faz comerciante ter linha desligada

Um comerciante da região central de Indaiatuba vem tendo problemas por conta de uma falha da operadora de telefonia. Ao aceitar a mudança de plano, que lhe traria mais vantagens e redução de custos, o telefone principal do estabelecimento foi cancelado por engano, e o lojista diz que, por conta disso, já teve prejuízo.

"No começo do mês, o representante veio aqui e ofereceu um plano melhor, que aumentou a velocidade para 4G, fibra ótica e reduziu o custo mensal de R$ 259 para R$ 129", relata Claudio Mozzelli. "É claro que meu filho e eu aceitamos, pois, todo mundo está cortando gastos", completa.

Acontece que a loja possui dois telefones e um deles é muito utilizado nas vendas da loja. "Ficou combinado de eles desligarem uma das linhas, então pedi que fosse desativada aquela que nós não utilizávamos, e continuaríamos normalmente com o número divulgado aos clientes. Mas não foi o que ocorreu, na semana do Dia das Mães (dia 8) eles vieram e desligaram a linha principal", destaca Cláudio.

"Eu imagino que, quando uma operadora faz o desligamento de um telefone o técnico deve vir fazer testes, e isso não foi feito", acrescenta o lojista. Ele explica que entrou em contato com a operadora mais de uma vez, porém, os atendentes falam que terão de esperar até 40 dias. "Se já estamos tendo prejuízos em duas semanas, imagine daqui a um mês", argumenta.

"O rapaz falou que iria ligar antes de fazer o procedimento, mas não retornou", lembra Aristides Mozzelli, que atua na loja ao lado do pai. "Daí, quando veio fez o desligamento errado", emenda.

"Depois de várias chamadas, eles me ofereceram uma linha nova, mas isso não é interessante para nós. Estamos com a loja aqui há 17 anos e todos os clientes ligam justamente no número que eles desligaram", lamenta Claudio.

Tudo igual

No último sábado, um técnico foi até a loja, porém, nada foi resolvido. "Ele disse que teríamos de esperar, pois uma nova equipe viria aqui. Liguei de novo e a atendente falou que seriam 40 dias de espera. Pense comigo: a situação já está difícil, com comércio fechando - imagine se ficarmos sem nosso principal canal com os clientes", desabafa o lojista.

"O telefone para nós é essencial", reforça Claudio. "Não queremos brigar com eles, nem criar caso, apenas que eles resolvam o problema, 40 dias é o fim de uma linha telefônica", reforça Claudio.

Na tarde de ontem, o comerciante informou à Tribuna que havia acabado de receber a visita de um técnico. "Ele fez a instalação de uma nova linha e afirmou que, dentro de dez dias, vão retornar para o número antigo, conhecido dos clientes da loja", aponta.

Em nota enviada, a assessoria da Vivo reiterou que o processo para religar a linha foi iniciado e que o proprietário do estabelecimento está ciente de todas as providências adotadas.

"Para nós, isso não adianta nada, aliás, não vejo nenhum sentido, pois agora estamos com dois números de telefone que não têm qualquer referência com nossos negócios. Resta-nos esperar que eles cumpram o prazo dos dez dias, que ainda julgo muito longo", lamenta Claudio.


Fonte:


Notícias relevantes: