Indaiatuba

Bruno Ganem é citado em lista da JBS

O processo de delação premiada envolvendo o grupo JBS, de propriedade dos irmãos Joesley e Wesley Batista, movimentou a política nacional e agora chega a Indaiatuba. Ricardo Saud, diretor da J&F, uma das empresas do grupo, revelou em seu depoimento que 1.829 candidatos, de 28 diferentes partidos, foram beneficiados com dinheiro da empresa. Em uma das listas divulgadas, referente às Eleições 2014, consta o nome do ex-vereador Bruno Arevalo Ganem, que na ocasião disputou uma vaga para deputado estadual, conquistando 50.124 votos. Em resposta às acusações, o político enviou uma nota oficial à Tribuna.

No total, as doações aos partidos somam quase R$ 600 milhões que, segundo Saud, garantiriam à JBS algumas contrapartidas. Em lista divulgada nos principais veículos de comunicação do país, o Partido Verde é destacado nas Eleições 2014 com o valor de R$ 1.636.916, além do nome de 50 candidatos, entre eles Bruno Ganem, que teria recebido o valor de R$ 5.000.

Na prestação de contas daquele pleito, em nome do ex-vereador consta ainda a doação de R$ 500 em nome da Destilaria Alcidia S/A, localizada no município de Teodoro Sampaio, em São Paulo, que pertence ao grupo Odebrecht Agroindustrial, mais uma empresa envolvida nas delações premiadas.

Ganem foi procurado pela Tribuna e em nota oficial informou que "nunca recebi nenhuma doação da empresa JBS. Quem é de Indaiatuba conhece meu caráter e minhas origens. Sou de família simples, sempre honrei o sobrenome do meu pai e nunca tive meu nome envolvido em ilegalidades, ao contrário de um grupo comprovadamente envolvido em escândalos de corrupção e que tentam, a todo custo, jogar na lama a imagem de Indaiatuba e das pessoas honestas que lutam por ela. Não vão conseguir!".

Continua afirmando que "meu trabalho é bem diferente, sempre estive ao lado da população, ouvindo quem realmente merece nossa atenção e trabalho. Em 2014 recebi R$ 5 mil de doação legal e registrada do PV - Partido Verde, como vários candidatos do Estado de São Paulo. O partido recebeu doações de empresas, de pessoas físicas, mas a principal fonte foi o Fundo Partidário. Sou a favor e estou na expectativa de que as investigações servirão para separar o 'joio do trigo'. Mantenho minha confiança de que a doação que o partido recebeu não foi condicionada a questões ilegais; caso contrário estarei fora".

 


Fonte:


Notícias relevantes: