Indaiatuba

Peças são testadas ainda nos países de origem

Vale ressaltar que, após o fim do prazo estabelecido, ações de fiscalização ocorrerão e lojistas e distribuidores poderão ser autuados, sendo passiveis de apreensão das mercadorias sem certificação e multa. Assim, a Abilumi alerta para a necessidade de todos se prepararem para as novas regras, deixando de adquirir produtos duvidosos e comprando só produtos certificados.

"Os clientes têm optado mais pelas lâmpadas LED por causa da economia", revela Yasmin Ribeiro, do setor de compras da loja Lig Bem. "Apesar do custo da LED ser maior do que o da lâmpada fluorescente, ela dura mais e oferece mais garantias", completa.

Ela diz que todas as lâmpadas LED hoje são importadas. "Os que dizem que os produtos são produzidos no Brasil, na verdade, importam as peças e montam as lâmpadas em território nacional. Daí, passam pelo Inmetro para a certificação", conta.

"Porém, há testes e certificação feitos ainda no país de origem, e os produtos entram no Brasil certificados. Mas, no porto há uma nova verificação do registro", destaca. Yasmin comenta que os lojistas que possuem estoque de lâmpadas sem certificação podem comercializá-las, desde que os clientes não exijam o selo. "Já os fornecedores não vão conseguir importar novas lâmpadas sem a certificação", salienta.

A Abilumi apoia os programas de Eficiência Energética nos diversos organismos governamentais e entidades de classe e coopera com os poderes públicos nos estudos e soluções dos problemas que se relacionem com os interesses e questões de caráter comercial das associadas, como o Ministério das Minas e Energia, Procel e Inmetro, entre outros.


Fonte:


Notícias relevantes: