Indaiatuba

Prefeito anuncia rompimento com Grupo VB

Na manhã da última quinta-
feira, o prefeito Nilson Gaspar (PMDB) anunciou que irá rescindir o contrato com o Grupo VB, responsável pelo transporte público municipal. Durante a coletiva de imprensa, o gestor de Indaiatuba declarou estar insatisfeito com o serviço prestado pela empresa, devido a descumprimento de contrato.

Segundo Gaspar, a operadora do transporte municipal não fez o que havia prometido quando assumiu o serviço, em outubro de 2016. "Eles prometeram instalar 20 pontos de recarga e não fizeram; também garantiram entregar os vinte ônibus zero quilômetro até maio, e não cumpriram", apontou o prefeito.

"Além disso, só ouvimos reclamações da população. As pessoas perdem consultas médicas e dias de trabalho por conta do ônibus não parar no ponto ou estar muito atrasado. Não dava mais para continuar, pois quem está sendo sacrificada é a população", enfatizou.

"Durante o período eleitoral fiz centenas de reuniões, e a questão mais discutida foi a do transporte público, principalmente no que diz respeito ao atendimento. Dentre as principais reclamações, estavam as dos ônibus velhos, falta de manutenção (pneu careca, ônibus quebrando), atrasos significativos de horários e viagens não cumpridas", relatou o prefeito.

Gaspar comentou que a prefeitura ouviu também os funcionários. "Observamos o descontentamento dos trabalhadores pela falta de pagamento dos salários, o que tem causado paralisações. Na penúltima manifestação, tentei convencê-los a não paralisarem o serviço, porém, não teve acordo", completou.

O gestor lembrou ainda da questão da inadimplência deixada pela antecessora, a Viação Indaiatubana. "No primeiro levantamento, a dívida estava em R$ 1.690.500, sendo que R$ 842.500 já estão inscritos em dívida ativa; o restante está apenas autuado. Em janeiro, tive uma conversa com o presidente da empresa e ele reforçou o compromisso de recuperar o transporte público de Indaiatuba e resolver os problemas."

Promessas

A insatisfação de Gaspar em relação ao serviço diz respeito ainda ao não cumprimento da instalação dos pontos de recarga. "Esta foi uma das promessas não cumpridas; além da ampliação do cartão integração de 30 minutos para uma hora, que também não aconteceu."

"Em maio, eles nos procuraram e pediram para adiar a entrega dos ônibus novos. Já estamos quase em agosto e nada. Por tudo isso, e por Indaiatuba merecer um transporte público de qualidade, tomei a decisão de declarar a caducidade do contrato", afirmou o prefeito.

"Esta é a decisão mais importante tomada desde o início do meu governo. A rescisão de contrato só não vai acontecer se a Justiça determinar que continue, mas, pela minha vontade, este assunto está fechado", concluiu Gaspar.

O secretário de Negócios Jurídicos, Wanderley José Boni, informou que o Departamento de Transporte Coletivo dará início ao levantamento de informações geradoras do processo administrativo de inadimplência para a declaração de caducidade, que deve resultar na rescisão do contrato.

Dentro de 60 dias uma nova empresa deverá ser contratada em caráter emergencial. A partir daí, irão correr 180 dias para abertura do novo processo licitatório de concorrência do transporte público. "A população pode ficar tranquila, pois o serviço de transporte não será interrompido durante o processo", reforçou.

Questionado pela Tribuna sobre a promessa do Grupo VB de entregar os 20 ônibus novos no início da semana que vem, Gaspar respondeu que isso não é mais relevante. "Não é isso que irá mudar a história do mau serviço prestado; aliás, esses veículos foram prometidos por eles mesmos e era obrigação deles cumprirem", adicionou.

"Ao assumir o transporte municipal, o Grupo VB também absorveu o passivo da Indaiatubana, mas não quitou o débito; e eu não posso manter uma empresa que está inadimplente. Não vou castigar a população por conta de uma promessa de que irá melhorar", arrematou o prefeito.


Fonte:


Notícias relevantes: