Indaiatuba

Balança comercial do Estado teve superávit no 1º semestre

Nos primeiros seis meses deste ano, a balança comercial do estado de São Paulo teve um superávit de US$ 2,9 bilhões. Houve crescimento de 11,8% das exportações, para US$ 28,7 bilhões, e alta de 4% das importações, para US$ 25,8 bilhões, ambos em relação ao primeiro semestre de 2016. A análise é do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos (Depecon) e do Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Derex) da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) sobre o desempenho das 39 diretorias regionais do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp).

No mesmo período, a balança comercial do país registrou superávit de US$ 36,2 bilhões, crescimento significativo na comparação com os US$ 23,7 bilhões vistos no primeiro semestre de 2016, segundo dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). A venda de produtos brasileiros no mercado internacional foi responsável pela entrada de US$ 107,7 bilhões no período, uma expansão de 19,3% também na comparação anual. Já as importações acumularam US$ 71,5 bilhões, uma alta de 7,3% contra o primeiro semestre do ano passado.

Segundo o diretor titular do Derex, Thomaz Zanotto, o aumento das exportações refletiu a existência de um Plano Nacional de Exportações (PNE), que há dois anos integra ações estratégicas como o Reintegra, os mecanismos de financiamento às exportações e as atividades da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex).

Ele afirmou que pela primeira vez, em algum tempo, a taxa de câmbio apresenta previsibilidade, mesmo que siga apreciada em relação a outras moedas. "A conjunção destes dois fatores resultou no aumento das exportações de diversos setores da indústria da transformação", completou. Além disso, a safra recorde na agricultura também é um fator importante para o resultado positivo.

Indaiatuba

Segundo a Balança Comercial por Diretoria Regional, Indaiatuba exportou US$ 629.156.064 de dólares e importou US$ 742.149.736, acumulando um saldo negativo de US$ -112.993.672. Números diferentes do informado pela Secretaria de Relações Institucionais e Comunicação, mas que confirmam a característica de importadora da cidade.

"De janeiro a junho de 2017, a Balança Comercial de Indaiatuba movimentou US$ 758.206.039,00 sendo US$ 323.230.062 em exportações, que é 16,51 % a mais que o mesmo período de 2016 e US$ 434.975.977 em importações, o que representa 5,52% a mais que no mesmo período de 2016. O saldo em dólares foi negativo em 111.745.915", afirma a secretaria, em nota enviada à Tribuna.

"Indaiatuba já tem a característica de importadora, desde o ano 2000 temos o déficit na balança comercial e somente de 2005 a 2007 tivemos o superávit. Isso acontece, pois os principais itens importados são partes e acessórios de veículos automotores", destaca a Pasta, que ressalta ainda que a Secretaria de Governo conta com o Núcleo de Apoio ao Comércio Exterior, serviço oferecido com o objetivo de informar, orientar e encaminhar as empresas interessadas na área de comércio exterior, com foco nas pequenas e médias empresas que queiram exportar.

"No entanto, é importante destacar que a prefeitura não tem como intervir nas negociações e a balança comercial segue um fluxo natural. Como poder público, apoiamos os empresários e buscamos novos investidores para que Indaiatuba continue como uma das referências industriais da RMC (Região Metropolitana de Campinas)", finaliza.


Fonte:


Notícias relevantes: