Indaiatuba

Desfile de 7 de Setembro volta ao calendário

Retorno

Todos os anos, milhares de pessoas se reúnem em avenidas na maioria dos municípios do país para celebrar a Independência do País, comemorada no Dia 7 de Setembro com desfiles cívico-militares. Há cinco anos Indaiatuba não realizava a parada, que volta em 2017 e vai acontecer na Avenida Engenheiro Fábio Roberto Barnabé, altura da Raia de Remo do Parque Ecológico.

A Tribuna quis saber da prefeitura os motivos pelos quais o desfile não foi realizado nos últimos cinco anos. A Assessoria de Relações Institucionais e Comunicação afirmou que, mesmo que a solenidade tenha sido realizada em Indaiatuba por muitos anos, os intervalos ocorreram por conta de ajustes ou solicitação dos próprios participantes. "Hoje estamos com um novo governo e com uma nova proposta para a cidade. A administração está resgatando eventos e festividades tradicionais, com o objetivo de promover a cidadania e a cultura", ressaltaram em nota.

A prefeitura afirma que escolas, secretarias municipais, empresas e diversos segmentos da sociedade poderão participar da parada. Ressalta ainda que a proposta é realizar ações em parceria entre o Poder Público e a sociedade. "O desfile de 7 de setembro deste ano terá um foco ambiental e irá abordar história e sustentabilidade, integrando o Programa Município Verde Azul". Questionada sobre os gastos com o evento, a prefeitura disse não ter estimativas de valores.

A Tribuna foi às ruas para saber qual a opinião dos indaiatubanos sobre o ato cívico. Um casal de idosos que pediu para não ser identificado enfatizou que, na atual situação em que as contas públicas se encontram, qualquer contenção de gastos é benéfica aos cofres públicos. "Acho que essa não é a hora de fazer desfile, mesmo porque a gente precisa voltar a ter orgulho da nação, toda essa situação que o país atravessa acaba desmotivando as pessoas a irem assistir o desfile", afirmaram.

Reacender

Já Débora da Silva é a favor da realização do evento, que considera uma oportunidade para reacender o espírito cívico dos cidadãos. "Na cidade eu nunca acompanhei, mas sempre via pela televisão. Eu acho muito importante, é a forma de não deixar acabar e manter viva a história. É importante para essa nova geração que vem vindo", considera. Ela ressalta ainda que antes mesmo da realização do desfile, é importante que os jovens saibam qual é o real objetivo da comemoração. "Eu nunca fui a um desfile, acho muito legal, esse ano eu vou", afirma.

"É fato que nós estamos precisando de uma atividade que resgate a civilidade e ao patriotismo, principalmente envolvendo alunos das escolas públicas", opina o taxista Marcelo de Souza, que é do Rio de janeiro e sempre acompanhou os desfiles na capital fluminense. Ele diz que o ato cívico tem que ser vivenciado desde cedo pelas crianças, mas o efeito só poderá ser percebido a longo prazo. "Eu participava dos desfiles no Rio de Janeiro com a banda, minha geração sempre tinha que estar envolvido com algum ato cívico. Acredito que as crianças de hoje não têm nenhuma fonte que reacenda o patriotismo, pelo contrário. As notícias que a gente vê diariamente desestimulam isso. O que falta para resgatar esse sentimento são bons exemplos e acredito que o Desfile de 7 de Setembro é um deles", considera. Marcelo ressalta que apenas uma edição não terá efeito algum e que é preciso uma continuidade, para que as crianças sintam prazer em ir e participar do desfile.


Fonte:


Notícias relevantes: