Indaiatuba

Prefeitura reabre cadastro para habitação

A Prefeitura de Indaiatuba reabriu nesta semana o agendamento online para pessoas que têm interesse em se cadastrar para futuros projetos habitacionais que venham a ser lançados no município, pelo Programa Minha Casa Minha Vida, do Governo Federal. O cadastramento, efetuado pela Secretaria Municipal de Habitação, será retomado na próxima segunda-feira, 4 de setembro, e será realizado exclusivamente após agendamento na página da Prefeitura em www.indaiatuba.sp.gov.br. O serviço foi suspenso em maio deste ano para ajustes e melhorias do sistema.

Podem se cadastrar pessoas com renda familiar de até seis salários mínimos. Outro requisito é residir em Indaiatuba há, no mínimo, cinco anos. Na data agendada o cidadão deverá comparecer à Secretaria de Habitação portando todos os documentos necessários (confira relação abaixo).

Segundo o secretário da pasta, Claudio Leal Diogo, atualmente cerca de 23 mil pessoas estão cadastradas para obtenção de moradias populares no município. "Aqueles que já compõem o nosso banco de dados devem fazer atualização cadastral a cada seis meses. É muito importante manter as informações atualizadas e corretas para os próximos programas habitacionais que deverão ser lançados no município", disse.

O Parque Campo Bonito foi o mais recente projeto habitacional realizado através de uma parceria entre a Prefeitura e os Governos Estadual e Federal. Ao todo 2.848 famílias foram beneficiadas, sendo 2.048 com os apartamentos, que foram direcionados para famílias com renda mensal de até R$ 1.600.

Parte do valor total por unidade (R$ 96 mil) foi subsidiada pelo programa Casa Paulista do Governo do Estado de São Paulo. As 800 casas foram direcionadas para famílias com renda entre R$ 1.600 e R$ 5 mil. Mais informações sobre o cadastramento habitacional podem ser obtidas na Secretaria de Habitação pelo telefone (19) 3834-9329.

Projetos

Em maio deste ano, o prefeito Nilson Gaspar (PMDB) revelou em entrevista à Tribuna seus planos para a Habitação. "Temos uma área ao lado do Veredas da Conquista, de propriedade da Prefeitura, e estamos analisando judicialmente se precisamos mudar o Plano Diretor para implantação de um conjunto habitacional", enfatizou. "À medida que tivermos a liberação, vamos elaborar o projeto e poderemos ter ali um conjunto com recurso do Fundo Municipal de Habitação, que hoje conta com R$ 30 milhões em caixa, recurso dos empreendedores que fizeram loteamentos e condomínios, e depositam uma taxa de contribuição. Com a verba que temos, creio que dá para fazer de 400 a 500 unidades habitacionais", completou.


Fonte:


Notícias relevantes: