Indaiatuba

Tentativas de golpes contra consumidores subiram 7,5%

Quase um milhão de tentativas de golpes contra os consumidores foram registradas no primeiro semestre de 2017. Os dados do Indicador Serasa Experian de Tentativas de Fraude revelaram que ocorreu uma tentativa a cada 16,5 segundos no País.

O estudo comparativo ao mesmo período de 2016 mostrou que, este ano, houve registro de 950.632 tentativas de fraude, contra as 884.105 do primeiro semestre do ano passado, representando um aumento de 7,5%. Ainda de acordo com a Serasa, a alta de 31,2% nos golpes contra o cidadão aplicados no setor bancário e financeiro foi responsável por liderar o crescimento das tentativas no semestre. A empresa aponta também que houve aumentos nos setores de serviços e telefonia, que foram de 5,8% e 1% respectivamente.

O segmento de telefonia é um dos mais atingidos, já que representa a porta de entrada para golpes em outras áreas. O setor foi o que mais teve tentativas entre janeiro e junho de 2017 (366.188), e registrou participação de 38,5% no total. A metodologia é simples: os golpistas costumam adquirir aparelhos ou abrir contas de celulares, para terem acesso ao comprovante de residência e abrirem contas bancárias; assim, eles conseguem talões de cheques, solicitam cartões de crédito e fazem empréstimos em nome de terceiros. A vítima só vai descobrir o golpe após o estrago já ter sido feito.

Uma assistente administrativa, que preferiu não ter o nome divulgado, viveu um verdadeiro calvário desde que perdeu a carteira com documentos, no ano passado. "Eu estava fora da cidade, em casa de parentes. Pouco tempo do ocorrido, descobri que haviam utilizado meus dados para comprar celular e outras coisas", conta.

Caso a pessoa tenha os documentos perdidos ou furtados/roubados, a Serasa orienta que seja feito o Boletim de Ocorrência (BO) e o aviso no site Serasa Consumidor. Isso poderá evitar o uso indevido dos dados.

O consumidor também deve estar atento nos estabelecimentos comerciais para que não haja troca de documentos; e nunca deve digitar senhas diante de desconhecidos, tampouco revelar dados pessoais a terceiros.

Varejo

Em relação às tentativas de golpes, o varejo e outros setores tiveram queda, conforme observou o estudo da Serasa. Nos primeiros seis meses de 2016, foram registradas 63,6 mil ocorrências no varejo, contra 57,4 mil deste ano (redução de 9,7%); nos demais segmentos, foram 15,3 mil em 2016 e 14,9 mil em 2017 (menos 2,5%).

O setor de serviços obteve 285,8 mil ocorrências, representando 30,1% do total; os bancos e financeiras ficaram com 23,8% de participação e 226,3 mil tentativas, e os demais foram responsáveis por 1,6% do total.

Para a empresa, o aumento das tentativas de golpe tem origem no retorno do consumidor ao mercado de crédito, após dois anos de recessão econômica. "Este fato pode ter criado mais oportunidades aos golpistas, já que estes consideram os períodos de maior movimentação como ambiente ideal para as ações criminosas", argumenta Carolina Aragão, gerente do Serasa Consumidor.

Nas comparações mensal e interanual, a Serasa mostrou que, em junho de 2017, 168,4 mil tentativas de golpe foram aplicadas em todos os segmentos, refletindo aumento de 2,1% em relação a maio deste ano, quando o indicador apontou 165 mil tentativas. Quando comparados junho de 2016 e junho de 2017, foi observado crescimento de tentativas em 12,5%.

Entre as principais fraudes praticadas contra os consumidores, o indicador listou:

- Compra de celulares com documentos falsos/roubados;

- Emissão de cartões de crédito e abertura de contas bancárias com identificação falsa, deixando as contas para a vítima;

- Financiamento de aparelhos eletrônicos, compra de automóveis e até abertura de empresas, a partir de dados roubados.


Fonte:


Notícias relevantes: