Indaiatuba

Indaiatuba recebe jurista que irá falar sobre a Lava Jato

Na próxima segunda-feira, dia 16, o professor e jurista, Luiz Flávio Gomes, estará em Indaiatuba para uma palestra que integra as atividades da 7ª Semana Jurídica do Curso de Direito da Faculdade Max Planck. O evento será no anfiteatro do Paço Municipal, a partir das 19h10, com entrada gratuita.

Com o tema Lava Jato: ética, cidadania e novas lideranças, Gomes, que também é idealizador do Movimento #QueroUmBrasilÉtico, pretende mostrar os caminhos para uma transformação efetiva do Brasil, em prol de uma realidade mais ética e cidadã.

Utilizando como pano de fundo a Lava Jato, a qual, de acordo com o jurista, a maior inovação que já existiu na justiça criminal brasileira, serão esmiuçados os meandros e malandragens instalados no espectro do sistema político-empresarial corrupto.

Implodir para reconstruir, cidadania vigilante, voto faxina, serão alguns dos temas trazidos à palestra. De acordo com o palestrante, o intuito é o de interagir com o público e despertar reflexões profundas. "A Lava Jato é a maior revolução do País, pois vem investigando e prendendo as classes corruptas mais poderosas, que sempre se julgaram intocáveis", ressalta Gomes.

O jurista prossegue salientando que este grupo jamais havia sido perturbado antes. "A operação já recuperou bilhões de reais para o patrimônio público, e isso é um fato histórico", alega. "Mesmo assim, forças corruptas e parasitárias têm feito de tudo para tentar derrubar o processo. Para ter uma ideia, este grupo desvia dos cofres públicos R$ 600 milhões por dia! Em termos comparativos, o PCC, a maior organização criminosa do Brasil, fatura R$ 300 milhões por ano", revela o jurista.

Além disso, Gomes argumenta que a Lava Jato não morreu devido ao apoio popular. "Em pesquisas recentes vimos que a operação conta com apoio de 85% da população; o que ainda é uma exceção - deveria ser regra", aponta.

Faxina

Questionado sobre a recente pesquisa de intenção de voto, divulgada pelo Datafolha, onde Lula e Bolsonaro aparecem com 35% e 18%, respectivamente, Gomes avalia: "Isso é um reflexo do sentimento de indignidade da população, que está extremamente insatisfeita e irritada com a política nacional. As opiniões indicam que as pessoas acabam votando no 'salvador dos pobres', como o próprio Lula se denomina; ou no 'salvador da pátria', título adotado por Bolsonaro. O povo busca uma espécie de abrigo, alguém que acredita que fará algo por ele", argumenta.

No movimento #QueroUmBrasilÉtico, com página no Facebook: https://www.facebook.com/queroumbrasiletico/, Gomes afirma ter engajado muitas pessoas. "Em uma semana, tivemos três milhões de acessos. Basicamente, o movimento expressa a condição indigna a que a população brasileira está exposta, e por isso, tem se mostrado intolerante com a corrupção", enfatiza.

No final da palestra haverá sessão de autógrafos de seu novo livro O jogo sujo da corrupção. Em sua obra, o jurista indica o voto faxina como uma solução para a mudança na política. "O objetivo é o de renovar o Congresso, como ocorreu em 1990, quando 62% dos deputados foram trocados. Esperamos um percentual ainda maior que este em 2018", observa Gomes.

Sobre a enxurrada de partidos políticos sendo lançados, Gomes diz que isso é normal, e faz parte da democracia. "É preciso que todos estejam atentos à cláusula de barreira, que determina que cada partido tenha, pelo menos, 1,5% do eleitorado. Se não atingir este patamar, estará fora", resume.

"A mudança está nas mãos da população, e tudo depende da conscientização. O povo não quer mais ir para as ruas, porém, na internet está muito antenado. Em meu livro também indico a saída do buraco, que é justamente o voto. Nós podemos fazer a diferença, a faxina, e dar chance para novas lideranças", arremata Gomes.

O palestrante

Luiz Flávio Gomes é doutor pela Faculdade de Direito da Universidade Complutense de Madri (2001) e mestre pela Faculdade de Direito da USP (1989), em ambas, na especialidade de Direito Penal.

Jurista e professor em vários cursos de pós-graduação nacionais e internacionais, entre eles a Facultad de Derecho de la Universidad Austral, Buenos Aires (Argentina), já tendo publicado mais de 57 livros na área jurídica.

É também membro da Comissão de Reforma do CP e Professor Honorário da Faculdade de Direito da Universidad Católica de Santa María (Arequipa/Peru). Atuou como Promotor de Justiça em São Paulo, de 1980 a 1983; Juiz de Direito, de 1983 a 1998; e advogado, de 1999 a 2001.


Palestra Lava Jato:

ética, cidadania e

novas lideranças

Dia: 16 de outubro (segunda-
feira) - 19h10

Local: Anfiteatro da Prefeitura Municipal de Indaiatuba - Av. Fábio Roberto Barnabé, 2800 - Jardim Esplanada II

Participação livre


Fonte:


Notícias relevantes: