Indaiatuba

Vagas temporárias devem crescer 3,5%

No Natal deste ano, o varejo deve abrir mais de 13 mil vagas de emprego temporárias; este número representa 3,5% a mais do registrado em 2016, segundo expectativas da Associação Comercial de Campinas (ACIC).

A concentração de temporários para o período na Região Metropolitana de Campinas (RMC) deverá ser de 13.724 trabalhadores - um cenário mais favorável, já que no ano passado o total de contratados foi de 13.260 pessoas.

Já em nível nacional, a previsão é a de que sejam absorvidos 105,5 mil trabalhadores temporários, o que representa 5,45% a mais do que em 2016, com 101 mil contratações. De acordo com o economista-diretor da ACIC, Laerte Martins, a situação instável que ainda se encontra a economia, indica que os processos produtivos e comerciais, não serão alterados até o final do ano.

"Teremos ainda, mais postos de trabalhos eliminados no comércio, indústria e serviços. Com a nova lei sobre as contratações dos terceirizados, que a partir de outubro deve reduzir os custos das contratações para os contratantes, deve haver um aumento dessas aquisições", acredita Martins.

Para o especialista, a situação de melhora dos principais indicadores econômicos deve elevar o consumo no varejo. "Isso também abre mais possibilidades de contratações de temporários, principalmente nos setores do comércio e serviços para este final de ano", complementa o economista.

Previsões

A coordenadora da Brinquedolândia, Vanessa Gouveia, revela que a loja pretende contratar pessoal temporário. "Ainda não temos a quantidade exata, mas é certo que abriremos vagas", indica. A unidade da Rua 24 de maio conta hoje com 30 funcionários.

Vanessa também diz que, se o profissional apresentar um diferencial durante o período de atuação, ele pode ser efetivado. "A possibilidade sempre existe, pois valorizamos iniciativas proativas", completa.

Mário Katsume Tomitake, proprietário da Gran Tropical Center, informa que atualmente conta com 24 funcionários (entre caixa, administrativo e vendas) e deve contratar os temporários a partir de novembro. "Devemos admitir mais duas ou três pessoas para as vendas", completa.

Todavia, Tomitake fala que nos anos anteriores as contratações eram bem mais numerosas. "Chegamos a ter 55 funcionários, mas agora, também por conta da informatização do sistema de vendas, que dispensou o trabalho humano, o total não deve ultrapassar 30 pessoas", esclarece.

Desempregada há pouco mais de um ano, Bruna M. S. Moreira tem 29 anos e busca uma oportunidade temporária para equilibrar as finanças antes de fechar o ano. "Estou à procura de vagas na área administrativa, mas também gosto de trabalhar com o público; por isso, se surgir algum trabalho em loja, não vou recusar", destaca.

Preparação

Leandro Diniz, gerente-executivo da ACIC, reforça que as contratações temporárias são oportunidades para o varejo tomar contato com novos profissionais e descobrir talentos que podem fazer a diferença nas empresas. Segundo ele, este é o diferencial buscado pelos empresários para efetivar o colaborador que está ali temporariamente.

Diniz também orienta aos candidatos atentarem para algumas características que podem ser determinantes na hora da contratação. "Além de preparar um bom currículo, pois é a informação que será compartilhada com o entrevistador, há outros aspectos a serem destacados", prossegue. "Uma boa apresentação pessoal do ponto de vista do vestuário é importante, já que no varejo o contato humano é muito frequente. Por isso, a imagem transmitida pela postura e vestuário será igualmente avaliada no processo seletivo", conclui o gerente.

Pesquisas prévias sobre a empresa e a vaga oferecida são essenciais. "Isso pode ser um diferencial, porque os entrevistadores costumam fazer dinâmicas em grupos, processos com vários candidatos simultaneamente, onde o candidato pode se diferenciar em relação aos concorrentes", justifica Diniz.

O executivo conclui, citando competências comportamentais como aliadas do bom profissional. "Algumas são muito valorizadas no varejo, tais como ser atencioso, ter postura e educação; se relacionar bem com outras pessoas; ter afinidade com o produto que vai vender e trabalhar; colaborar para uma boa experiência de compra; não induzir clientes a uma compra equivocada e entender que atingir a meta é consequência de um bom atendimento", enumera.


Fonte:


Notícias relevantes: