Indaiatuba

Sindicato dos Rodoviários coleta assinaturas para garantir empregos

Os representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Campinas e Região realizaram ontem um movimento junto aos motoristas da Companhia de Transportes de Indaiatuba (Citi), da Rápido Sumaré, atual concessionária do serviço. Eles coletaram assinaturas dos trabalhadores, a fim de garantir que tenham prioridade nas contratações feitas pela Santa Cecília Turismo Ltda. (Sancetur), futura empresa de transporte coletivo do município.

A iniciativa tem base em texto, publicado no Diário Oficial, na semana passada, que resume o contrato emergencial para a concessão do transporte público na cidade, e concede autorização para que a Sancetur execute o serviço de transporte de passageiros.

"Hoje são 293 trabalhadores e a gente quer a garantia de emprego para todo mundo", enfatizou Claudemir A. Santos, membro do sindicato e funcionário da Citi. "Nosso papel é sempre a defesa do trabalhador", completou.

Claudemir falou à reportagem quando estava no terminal João Pioli, na tarde de ontem. "Também colhemos assinaturas com a turma que entrou no primeiro horário", revelou. "Entre todos, esperamos, pelo menos, coletar mais de 150 assinaturas."

Questionado sobre a possibilidade de perderem os empregos, o sindicalista garantiu que isso não vai acontecer. "Estamos juntos, acompanhando, e defenderemos a categoria", salientou. Em 31 de outubro, o sindicato publicou um edital no jornal O Estado de São Paulo, onde convocava os trabalhadores do setor para a assembleia geral, no dia 1º de novembro. A entidade também pretendia deliberar sobre a paralisação do transporte, por tempo indeterminado, devido ao decreto de caducidade do contrato com a Citi, feito pela prefeitura.

"Desistimos da paralisação, porque entendemos que a população não deve pagar pelos problemas", argumentou Claudemir. "Além disso, pleiteamos o passivo trabalhista de R$ 5 milhões em direitos adquiridos ao longo dos anos", lembrou.

Melhorias

O sindicalista comentou também sobre a qualidade atual do transporte de Indaiatuba. "Hoje o serviço está muito bom; ouvimos tanto dos funcionários quanto da população as melhorias efetuadas", citou. "Não houve mais atrasos de salários e benefícios", emendou Claudemir.

"Eu não tenho nada que reclamar da Rápido Sumaré", assegurou Carlos Alberto Francisco, que atua como motorista há dois anos e meio. "Acho uma injustiça o que eles estão fazendo com a empresa; afinal, em um ano melhorou muita coisa", concluiu.

Alberto Antônio trabalha na Citi há quatro meses como cobrador, e também se diz satisfeito com o serviço. Para o auxiliar de tráfego, Eduardo Henrique, o ponto que mais melhorou foi a manutenção. "Antes quebravam muitos ônibus, e tinha atrasos nos horários. Outra coisa que está funcionando bem é o elevador para cadeirantes", apontou.


Fonte:


Notícias relevantes: