Indaiatuba

Licitação a concessionários está em andamento

A licitação para que concessionários e permissionários privados possam estabelecer seus negócios no terminal já foi aberta. Conforme o edital 191/2017, publicado no último dia 27, os envelopes deverão ser entregues até às 9h do dia 5 de janeiro de 2018.

Em nota, a assessoria da Semurb informou que, após a licitação, os comerciantes terão 60 dias para iniciar as atividades no local. O decreto determina que cada um deverá pagar mensalmente a Tarifa de Manutenção, Conservação e Limpeza (TMCL), além do tributo relativo ao uso do espaço. Esta tarifa será calculada em razão da área (em metros quadrados - m²), utilizada pelos concessionários/permissionários.

O decreto municipal também indica as atividades necessárias, recomendáveis e inconvenientes ao novo terminal. Entre as necessárias, estão elencadas: lanchonetes, restaurantes, lotéricas, bancas de jornais/revistas, farmácias e salão de beleza. Já as recomendáveis correspondem ao comércio de bijuterias e acessórios; agência de turismo; chaveiro; doceria; livraria; ótica; produtos importados; suplementos; espaço pet; brinquedos e informática.

E em relação a empreendimentos incompatíveis, a administração destaca a comercialização de inflamáveis, tóxicos, corrosivos, poluentes e gêneros alimentícios perecíveis (salvo se houver instalações destinadas a sua conservação). Consta ainda no referido edital que todos os que já possuem concessão ou permissão para atividade comercial no município não poderão participar da licitação do novo terminal.

Região central

A reportagem também questionou a administração sobre o atual terminal, na região central - se haverá reformas, melhorias etc. - e a assessoria explicou que isso está em estudo.

Fábio Portes de Almeida é proprietário do Ranchinho do Sinhá, no atual terminal rodoviário. Ele comenta que, após a mudança, o movimento em seu comércio deverá cair consideravelmente. "Será outro público, e embora eu não tenha feito um estudo, acho que deve cair uns 60%", avalia.

O comerciante espera que as melhorias no local venham logo. "Já faz um tempo que pretendo ampliar o Ranchinho, transforma-lo em um lugar mais aconchegante e confortável. Também devo fazer uma solicitação para que a administração transfira o espaço para o outro lado, mais próximo às bilheterias, o que deve favorecer a visibilidade", argumenta Fábio.


Fonte:


Notícias relevantes: