Indaiatuba

Tarifas de água e esgoto vão subir em fevereiro

As tarifas de água e esgoto cobradas pelo Serviço Autônomo de Água e Esgotos (Saae) serão corrigidas em 6,96%, e os serviços em 2,70%. Os percentuais foram determinados de acordo com a Resolução nº 217 da Agência Reguladora dos Serviços de Saneamento das Bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (ARES PCJ), órgão que regula os serviços de distribuição e tratamento de água e esgoto conforme a Lei Federal nº 11.445, de 05/01/2007.

Os custos atualizados foram definidos após avaliação criteriosa dos relatórios de resultados e custos apresentados pela autarquia. O usuário, por sua vez, pagará a conta com reajuste no mês de fevereiro, referente aos serviços prestados e consumo aferido em janeiro de 2018.

O ajuste tarifário visa corrigir as distorções proporcionadas pela inflação dando condições à autarquia de manter os serviços prestados à população. A tarifa de água da cidade custeia as operações de captação, tratamento e distribuição de água. Já a taxa de esgoto subsidia a coleta, afastamento e tratamento dos efluentes.

Atualmente, o total pago pelo consumo mínimo (5 metros cúbicos) é de R$ 20,76; e a taxa de afastamento de esgoto é de R$ 18,68.

Contudo, o critério para a cobrança da água é o metro cúbico (m³). Um metro cúbico corresponde a mil litros; o valor do m³ varia de acordo com a faixa de consumo e com as categorias residencial, comercial e industrial. Quanto maior o consumo, mais elevado é o valor do m³ na faixa correspondente.

Na página do Saae Indaiatuba na internet, os consumidores podem conferir como funciona o cálculo da cobrança do serviço: www.saae.sp.gov.br/consumo_tarifas/

A aposentada Aparecida B. Lanci, moradora do Jardim do Sol, diz que sempre pagou a taxa mínima, e não gostou nada de saber do reajuste.

"Tudo só aumenta, mas não vemos nossos rendimentos acompanharem. Pode parecer pouco, mas se somarmos às outras contas, principalmente o gás e a energia elétrica, o dinheiro vai embora sem que a gente veja a cor", lamenta.

O autônomo Denis A. M. Souza lembra também de outros tributos. "Todo início de ano é a mesma coisa; só anunciam aumento disso e daquilo. Logo virão as novas tarifas de IPTU, IPVA, CIP etc., sem contar os reajustes mensais nos combustíveis e no gás. Não dá mais para curtir as festas", protesta.

Consórcio

A ARES PCJ é um consórcio na forma de associação pública, criada nos moldes da Lei Federal nº 11.107/2005, com o objetivo realizar a gestão associada de serviços públicos.

Isso é feito por meio das atividades de regulação e fiscalização, dentre as quais, a definição, fixação, reajuste e revisão dos valores das taxas, tarifas e demais serviços públicos de saneamento básico em todos os municípios consorciados.


Fonte:


Notícias relevantes: