Indaiatuba

PT local forma comitê para defesa do ex-presidente Lula

Cerca de 50 pessoas participaram na noite da última quinta, dia 18, da primeira reunião do "Comitê em Defesa da Democracia e do Direto do Lula Ser Candidato", promovido pelo diretório local do Partido dos Trabalhadores (PT) e a Frente Brasil Popular. Na ocasião, foram definidos os últimos detalhes para a caravana que sairá de Indaiatuba em direção à Avenida Paulista, em São Paulo, onde acontecerá uma mobilização em apoio ao ex-presidente Luís Inácio "Lula" da Silva (PT), que será julgado na próxima quinta, dia 25, no Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em Porto Alegre (RS).

"Em termos de atividade, definimos os últimos detalhes para a caravana que sairá de Indaiatuba no dia 24, mas acontecerá a nível, em diversas capitais", afirma Rinaldo Wolf, vice-presidente do PT em Indaiatuba. "Recebemos o Renato Simões (integrante do Diretório Nacional do PT) e discutimos diversos pontos. Em um primeiro momento, nossa missão é defender a democracia e o direito do Lula ser candidato novamente".

"Estamos observando umprocesso acelerado para tirar o Lula da campanha, até porque no próximo dia 25, um dia após o julgamento, o PT vai anunciar o nome dele como pré-candidato à presidência da República", destaca Rinaldo. "Neste mesmo dia, teremos uma nova reunião do Comitê, para analisar os acontecimentos e definir os nossos próximos passos".

Amanhã, dia 21, o diretório local do PT planeja uma atividade em Indaiatuba. "Faremos panfletagem em alguns pontos da cidade. Nosso objetivo é buscar novos filiados e simpatizantes para tomar as ruas e defender a democracia", afirma o vice-presidente local do partido.

Montagem

Lula foi condenado em primeira instância em julho de 2017, pelo juiz Sérgio Moro, a nove anos e meio de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, em investigação envolvendo um tríplex no Guarujá que, segundo apontamentos na Operação Lava Jato, foi pago com propina da empreiteira OAS. "Particularmente, acredito que Lula será condenado em segunda instância. Mas quem acompanhou, sabe que foi tudo uma grande montagem", aponta Rinaldo.

"Nossa luta não é apenas para defender os direitos de Lula, mas também porque nosso país está perdendo sua soberania. Ninguém mais protesta e o atual governo continua fazendo reformas antipopulares e criminosas, em minha opinião", afirma, lembrando que o PT não trabalha com alternativas para as Eleições 2018. "Não existe outro nome. A condenação em segunda instância não tira do Lula a chance de disputar as eleições, até porque o partido deve recorrer até que a decisão chegue às mãos do STF (Superior Tribunal Federal)".


Fonte:


Notícias relevantes: