Indaiatuba

Adesão ao sinal digital vai até 17 de fevereiro

O sinal analógico de TV foi desligado nos 85 municípios das regiões de Campinas, Sorocaba e Jundiaí no último dia 17. Até ontem, a Seja Digital, entidade responsável pela migração do sinal para o digital, fez a entrega de 10,2 mil kits com o conversor e a antena - 84% dos 12,1 mil previstos para a cidade.

Quem ainda não fez a instalação do conversor e da antena digital está sem acesso à programação das emissoras. Vale lembrar que os televisores de tubo ou de tela plana fabricados até 2010 precisam de conversor para receber o sinal digital. Se a TV já possui conversor embutido, basta conferir se a antena é adequada para a recepção do sinal digital.

Gisela Gerotto, mobilizadora da Seja Digital em Indaiatuba, confirmou a entrega dos 10,2 mil kits gratuitos aos beneficiários dos programas sociais do governo na cidade. "Ainda não distribuímos os kits em sua totalidade devido a alguns fatores sobre os quais não sabemos, como, por exemplo, beneficiários que mudaram de endereço; ou ainda os que acabaram comprando o kit", aponta.

Sobre isso, ela acrescenta que, assim que o sinal analógico foi desligado, aqueles que deixaram para a última hora correram para adquirir os kits, para não ficarem sem ver a programação. "Em nosso mapeamento existem ainda 2 mil pessoas que devem retirar os kits. De qualquer modo, os agendamentos para retirada e instalação prosseguem até o dia 17 de fevereiro, ou seja, 30 dias após o desligamento do sinal analógico", reforça Gisela.

Questionada sobre quantos no município ficaram sem acesso ao sinal digital, a mobilizadora respondeu que a empresa não tem essa informação. "É um dado difícil de coletar, pois, as pessoas que possuem antena parabólica, que continua com transmissão normal, nem sentiram a migração de sinal. Há muitos que possuem TVs de tubo, mas assistem a programação da parabólica em outros ambientes da casa, mas têm a TV digital na sala, por exemplo", explica.

Gratuidade

O processo de instalação do kit é simples, e o mais indicado é instalar a antena no telhado da casa. Em seguida, conectar o conversor à TV e fazer a sintonia dos canais. A Seja Digital também disponibilizou pessoal para a instalação dos kits, em parceria com a Prefeitura. "Em um trabalho conjunto com a Secretaria Social, disponibilizamos uma pessoa para ficar em cada unidade do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) da cidade, prestando informações e esclarecendo dúvidas, já que a maior parte do público beneficiário dos programas sociais se concentra nesses postos", lembra Gisela.

No ano passado, a equipe da entidade se valeu de diversos eventos na cidade para orientar a população sobre a migração para o sinal de TV digital. "Lançamos o programa Instalador Amigo, onde treinamos pessoas (desempregados) para fazerem a instalação nas casas gratuitamente", completa.

Uma das beneficiárias é Vilma Moreira, do Jardim Morada do Sol, que retirou seu kit já em outubro. "Como meu marido é técnico instalador, ele mesmo fez a instalação dos equipamentos", lembra.

Ela conta que o fato do kit ter sido gratuito foi o fator mais importante para a família, já que ela e o marido estão desempregados. "Se fôssemos comprar os equipamentos, gastaríamos R$ 140, fora o custo da instalação, que fica em torno de R$ 80. Inclusive, vários conhecidos vieram pedir para meu marido instalar os kits para eles", revela Vilma.

Ela diz ainda que a programação favorita dela são as novelas. "Gosto bastante, além de ser o único horário em que posso assistir; e agora, com a imagem muito melhor", comemora. Uma das filhas do casal também está curtindo a novidade. "A mais nova fica ligada nos desenhos animados."


Fonte:


Notícias relevantes: