Indaiatuba

1,1 mil doses contra febre amarela em 2018

Só este ano, em Indaiatuba, 1.116 pessoas se vacinaram contra a febre amarela. Os dados são da Secretaria Municipal de Saúde, que informou ainda que a vacinação segue os critérios de agendamento, conforme orientação do Grupo de Vigilância Epidemiológica (GVE-17 Campinas).

Ainda segundo a assessoria da pasta, no ano passado, foram aplicadas 30.036 doses da vacina no município. O esquema de vacinação deverá seguir gradativamente, com a aplicação das doses padrão. Com relação às doses fracionadas (iniciadas esta semana pelo governo paulista), não serão adotadas. Isso só ocorrerá por orientação da Secretaria de Estado ou do Ministério da Saúde.

Para pessoas a partir dos 60 anos de idade, a vacina será aplicada somente após autorização médica. O aposentado Antônio C. Silva foi até o posto de saúde, no Jardim do Sol, para se informar. "Eles me disseram que eu tenho que passar pelo médico para conseguir tomar a vacina. Mas, só tem consulta em março; então, de qualquer jeito vou ter que esperar", comenta.

A atendente de uma das Unidades Básicas de Saúde (UBS) do município disse que o desespero na busca pela vacina causou tumulto na cidade nas últimas semanas. "Tinha gente que vinha até o posto e queria tomar a vacina porque ia viajar naquele mesmo dia. Isso era bem difícil, pois, além da necessidade de se tomar a vacina com alguns dias de antecedência, havia a questão dos agendamentos; ou seja, tinha outras pessoas na frente", explica.

Crime ambiental

A Pasta reforça que não houve em Indaiatuba qualquer registro de caso da doença em humanos ou animais (epizootias). O poder público também alerta para a matança de macacos em várias partes do país. O primata não transmite a febre amarela e é tão vítima quanto o ser humano, ou seja, ele é picado pelo mosquito e, assim, adquire a doença.

Além disso, vale lembrar que maltratar ou matar animais se constitui em crime ambiental, conforme a lei federal 9.605 (fevereiro/1998),com pena de detenção de três meses a um ano, mais pagamento de multa.


Fonte:


Notícias relevantes: