Indaiatuba

CPFL alerta para o perigo de pipas na rede elétrica

A CPFL Energia registrou em Indaiatuba, nos últimos três anos, 349 casos de falta de energia por conta de pipas. Em toda a Região Metropolitana de Campinas (RMC), o total foi de 5,2 mil casos. Apesar dos resultados, e da cidade ocupar o quarto lugar nas ocorrências, houve redução de casos de desligamentos no período.

Segundo os estudos da concessionária de energia, o número de ocorrências relacionadas a pipas no município foi de 132 em 2015; 113 em 2016 e 104 no ano passado, representando uma diminuição de 21,2% nos casos. Já na RMC houve aumento de 6,3% nas ocorrências, sendo 1.567 (2015), 1.593 (2016) e 1.665 (2017), totalizando 5.212. Apenas entre 2016 e 2016, o aumento de casos registrados foi de 4,5%.

As estatísticas apuradas pela área operacional das distribuidoras do Grupo também mostram que Campinas e Sumaré lideram o ranking de ocorrências, com 2.225 (42,6% do total) e 709 (13,6% do total) desligamentos nos últimos três anos, respectivamente.

A interrupção do fornecimento de energia elétrica por conta das pipas pode ocorrer por diversas formas. Além do risco de rompimento dos cabos por pipas que usam cerol ou pipa chilena, as linhas que ficam enroscadas nas redes elétricas provocam desgastes nos fios, podendo levar a curtos-circuitos e derretimento dos fios.

Há ainda preocupação em relação aos papeis utilizados na confecção do brinquedo, como o papel alumínio ou laminado, que são condutores elétricos. Enroscadas nos cabos da rede de energia, muitas pipas continuam causando interrupções meses depois de terem sido perdidas. Isso ocorre especialmente quando chove, pois favorece a condução de energia por esses materiais.

Perigo

Os riscos oferecidos por pipas enroscadas nos fios de energia elétrica são grandes, alerta a assessoria da equipe operacional do Grupo CPFL. Há relato, inclusive, da morte de uma pessoa, no município de Capivari - Gilmar Machado da Silva foi atingido por um cabo de energia que se rompeu devido à tentativa de populares de retirar uma pipa da rede elétrica.

Até mesmo a tentativa de resgatar uma pipa enroscada na fiação pode provocar desligamentos no fornecimento de eletricidade e causar acidentes com vítimas. Subir em telhados ou postes para recuperar o brinquedo representa risco de choque, assim como tentar removê-lo com canos ou bambus.

De acordo com a equipe técnica, a interrupção do fornecimento de energia elétrica por causa das pipas pode ocorrer de diversas formas. Além do rompimento de cabos (causado por fios com cerol), as linhas enroscadas nas redes provocam o desgaste dos fios, podendo levar a curtos-circuitos e até o derretimento dos mesmos.

Ainda em 2016, a Tribuna publicou várias reportagens sobre os problemas causados pelas pipas na rede elétrica. À época, a CPFL havia registrado a interrupção de energia em 165 residências no município, durante o período de férias escolares.

Em caso de rompimento de cabos por linhas de cerol ou curtos-circuitos causados por pipas, a população deve

acionar imediatamente a distribuidora por meio dos canais de atendimento. Também

é indicado manter-se o mais distante possível do fio partido para evitar novos acidentes graves e fatais.


Fonte:


Notícias relevantes: