Indaiatuba

Imbróglio com a Viação Rápido Sumaré teve início em outubro

O imbróglio entre Prefeitura e a Viação Rápido Sumaré teve início em outubro, quando a administração municipal declarou a caducidade e rescindiu o contrato de concessão do serviço público de transporte coletivo de passageiros no município. A decisão seguiu o parecer do órgão jurídico local, após uma análise jurídico-técnica que, segundo informado na ocasião, seguiu todos os trâmites legais e respeitou o amplo direito de defesa da empresa, tendo como base o descumprimento do contrato por parte da concessionária.

O decreto 13.153 documentou a decisão e estabeleceu o dia 1º de dezembro de 2017 para a retomada do serviço pela Administração Municipal, mas a direção da Rápido Sumaré, que integra o grupo VB Transportes, entrou na Justiça com um Mandado de Segurança e conseguiu uma medida liminar para se manter na prestação do serviço até que o processo fosse julgado.

Na ocasião, a administração municipal já havia concluído o processo de contratação emergencial de uma nova empresa de transporte coletivo pelo prazo de 180 dias, até que fosse realizada a licitação para a contratação definitiva de uma nova concessionária.

A Rápido Sumaré, à frente do transporte público local desde 1º de outubro de 2016, divulgou que já destacou mais de R$ 12 milhões para renovação da frota, ampliou a rede credenciada de recarga, promoveu treinamentos de colaboradores e a reforma e colocação de novos abrigos, entre outros investimentos.

Licitação

No dia 31 de outubro de 2017, a Imprensa Oficial do município revelou um resumo do contrato emergencial 701/2017, que concede à empresa Santa Cecília Turismo Ltda. (Sancetur) a operação do serviço no município. Pelo prazo de 180 dias, que abrigaria o período entre 30 de outubro até 30 de abril de 2018, o valor era estimado em R$ 9.596.307.

Os veículos da Sancetur possuem a logomarca 'SOU' seguida do nome do município onde opera o transporte. Em abril de 2017, a empresa assumiu o transporte na cidade de Atibaia, mas já opera em Valinhos e Paulínia, entre outras cidades da região. Em Indaiatuba, a concessionária é responsável pelo transporte escolar municipal. A Tribuna procurou a diretoria da Sancetur para dar mais detalhes sobre o início da operação da empresa em Indaiatuba, mas não obteve retorno até o fechamento desta edição.


Fonte:


Notícias relevantes: