Indaiatuba

Cresce nº de animais silvestres em área urbana

Levantamento da Polícia Ambiental apontou que o número de animais silvestres apreendidos em áreas urbanas vem crescendo. No ano passado, 1.243 animais foram encontrados pelas equipes em sete municípios da região, incluindo Indaiatuba. O total representa aumento de 12% em relação a 2016, quando foram localizados 1.096. As estradas e rodovias são os locais onde existem mais casos.

De acordo com a AB Colinas, concessionária que administra a Rodovia Ermênio de Oliveira Penteado (SP-75), o índice é pequeno em Indaiatuba. Os dados divulgados pela empresa apontam que no trecho da pista que passa pelo município foram registradas sete ocorrências envolvendo animais silvestres em 2017.

A assessoria da concessionária diz ainda que a espécie mais presente é a capivara. As ocorrências não são necessariamente acidentes, já que também são contabilizados animais encontrados na rodovia por outras razões.

A AB Colinas também ressalta que faz o monitoramento diário das rodovias, a fim de prevenir o surgimento de animais nas vias. O controle é feito pelas equipes de inspeção de tráfego, que percorrem todo o trecho administrado 24 horas por dia e pelo circuito de monitoramento por câmeras que estão instaladas na malha viária. A concessionária garante também que o perímetro urbano de Indaiatuba possui baixa incidência de animais silvestres, já que essas espécies procuram áreas com um ambiente mais propício, com matas e rios próximos.

Caso algum usuário encontre um animal na pista/rodovia, a concessionária orienta entrar em contato pelo telefone 0800-7035080 ou por um dos telefones de emergência (Call Box) nas vias administradas. O 0800 aceita chamadas de telefones fixos e celulares.

Reabilitação

Os animais encontrados (feridos) são encaminhados à Associação Mata Ciliar, em Jundiaí, que mantém o Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (Cras), e que recebe os bichos, prestando atendimento veterinário. Após o processo de reabilitação, asespécies são soltas em seu ambiente natural. Conforme os responsáveis, a ONG já recebeu mais de 18 mil animais silvestres, sendo a maior parte encaminhada pela Guarda Civil, Polícia Ambiental, Bombeiros e Defesa Civil.

Já os casos que envolvem atropelamentos, queimadas, caçada, tráfico, eletrocussão e outros acidentes decorrentes da devastação de seu habitat. Hoje, a Mata Ciliar/Cras assiste a 700 animais, desde pequenas aves a grandes mamíferos.

Em maio de 2017, a ONG recebeu Chico e Vicky, filhotes de onça parda, vítimas de acidente com colheitadeira de cana de açúcar. O macho ficou cego de um olho e no outro sofreu danos que demandaram tratamento oftalmológico especializado. À época, a assessoria da ONG afirmou que essas ocorrências são comuns, e que a falta de políticas públicas ambientais, por parte das usinas de cana, colaboram para que acidentes assim continuem ocorrendo.

Os animais recuperados passam por um tempo de reabilitação e observação e, então, são destinados para recintos de pré-soltura, onde exercitam músculos, treinam voo, caçam e são estimulados ao comportamento natural da espécie. Alguns são monitorados via rádio-colar com GPS, fornecendo dados científicos e base para futuras ações de conservação. Nem todos os animais conseguem total recuperação; em razão de sequelas físicas e/ou psicológicas, muitos permanecem em cativeiro.


Fonte:


Notícias relevantes: