Indaiatuba

Judeus anussim promovem plantio de mudas

"Uma das coisas importantes que o homem deve fazer no mundo é plantar uma árvore". A afirmação está na página da comunidade judaica anussim, em rede social. O grupo mantém o projeto OCIB Ambiental, por meio do qual foram plantadas, em Indaiatuba, uma centena de mudas de árvores às margens da barragem do Mirim.

"Foram plantados 50 aroeiras e 50 ipês roxos", revela Rui Segundo, agrimensor do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) e coordenador do projeto no município. Ele conheceu a comunidade e resolveu combinar a cultura judaica e o meio ambiente. "Temos planos de trazer a flora de Israel, como a tamareira, para Indaiatuba, já que o clima aqui é propício à espécie."

Para a comunidade anussim, o plantio não se limita apenas ao ato de inserir a muda na terra. "Trata-se de algo maior, que é a consciência de nós mesmos sobre o respeito que devemos ter pela natureza", salienta Kefah Ben Yehudad, um dos diretores do Anussim Brasil. Segundo a crença, quando Deus finalizou a criação, entregou sua obra nas mãos do homem para que este desse continuidade e cuidasse da manutenção. "Hoje, nós ensinamos aos nossos filhos a responsabilidade e o valor de mantermos a natureza viva", complementa Kefah.

O plantio em Indaiatuba ocorreu no dia 4 de fevereiro, e contou com a participação dos associados e diretores da Fundação OCIB Ambiental. Até mesmo as crianças acompanharam os pais, já que a comunidade anussim acredita no exemplo como forma de educar os filhos. "Não basta só estudar ou ficar rezando na sinagoga - é preciso atravessar muralhas e transformar o mundo a nossa volta", declara o representante da comunidade.

Sobre a sigla OCIB, Kefah esclarece ainda que significa um acrônomo da expressão hebraica "Tenda da vida de Israel no Brasil".

Além do plantio, Rui conta que há outros projetos ambientais na cidade, desenvolvidos junto ao Saae. "Adote uma Nascente é um deles e visa a recuperação de áreas às margens dos rios. Temos também ativi-

dades para o reuso de materiais, e criamos o personagem Ociberto Benevides (papa-pilhas), produzido com bambus da cabana judaica", aponta.

Origens

Os anussim se constituem em descendentes dos judeus sefarditas hispano-portugueses, vítimas da Inquisição na Idade Média. A iniciativa da comunidade é independente e tem o objetivo de dar visibilidade para a existência desses grupos de judeus e apoiar, com recursos, o retorno dos denominados anussim que estiverem em condições, de acordo com a halachá (ou chazaká, força de tradição pela qual se define alguém como judeu).

Assim, a comunidade defende o processo de conversão e o resgate das tradições sefarditas hispano-portuguesas das quais descende. Ou seja, há um retorno para todos os benê anussim, seja por um retorno formal ou por um processo de conversão ao judaísmo.

Quanto ao viés religioso, os anussim reforçam que não seguem tradições cristãs ou messiânicas, tampouco compactuam com qualquer pessoa que realize trabalho para desviar os judeus da Torat Emet.

Rui diz ainda que, ao estreitar o contato com a comunidade anussim, adotou o nome judaico Rui Paulo Aaron. "Temos o objetivo de ajudar pessoas de origem judaica a buscarem suas raízes, por meio da investigação de tradições e genealogias", comenta.


Fonte:


Notícias relevantes: