Indaiatuba

Reembolso de créditos segue sem previsão

Os munícipes também estão preocupados com uma situação bastante séria, que diz respeito aos créditos que ficaram retidos nos bilhetes eletrônicas da Companhia de Transporte de Indaiatuba (Citi), antiga concessionária do serviço. Devido à questão judicial entre a empresa e a Prefeitura, o assunto está pendente e ninguém, até agora, deu conta à população de como e quando os valores serão destituídos.

Na semana passada, a Rápido Sumaré (proprietária da Citi) enviou comunicado dizendo que a responsabilidade pelos créditos eletrônicos é da Prefeitura, já que esta é a titular do serviço. A nota ainda dizia que a direção da Citi ofereceu ao poder público a retomada do transporte, em caráter excepcional, até que os créditos dos cartões sejam zerados.

Na última quinta (22) a empresa reforçou o comunicado, divulgando à imprensa o protocolo aberto na Prefeitura, em resposta à notificação recebida, pedindo à Rápido Sumaré a apresentação imediata de um plano de devolução do dinheiro dos créditos aos passageiros.

O documento diz o seguinte: "(...) ao comprar o crédito eletrônico, o usuário adquire o direito a utilizar-se do sistema de transporte (...) no tempo e modo regulamentados pelo Poder Concedente, titular do serviço. (...) ao declarar, de forma ilegal a caducidade do contrato (...) o Poder Concedente criou para si a obrigação de responsabilizar-se pelos créditos comercializados (...)."

Em resumo, a Rápido Sumaré transferiu à Prefeitura a obrigação de devolver os valores retidos nos cartões da Citi. A Tribuna, então, questionou a administração municipal sobre o desfecho deste caso; porém, até o fechamento desta edição não obteve resposta.


Fonte:


Notícias relevantes: