Saae substitui rede de água no Centro

Indaiatuba

Saae substitui rede de água no Centro

O Serviço Autônomo de Água e Esgotos (Saae) deu início às obras de setorização e substituição de rede de distribuição de água por método não destrutivo (MND). As obras contemplam a região central, onde a autarquia irá substituir 11 quilômetros de redes nos bairros Cidade Nova I, Vila Areal, Vila Georgina, Vila Sfeir, Vila Vitória e Vila Nossa da Candelária.

De acordo com o Saae, a setorização e substituição são necessárias, pois, a rede de distribuição de água da área central do município é muito antiga, e foi construída em fibrocimento (ferro fundido e aço galvanizado). Essas tubulações possuem diâmetros reduzidos e, em alguns trechos, estão quase bloqueadas pela existência de incrustações, o que faz com que a ocorrência de vazamentos nesses trechos sejam frequentes.

Os ramais das ligações de água da região central também são antigos e estão apresentando um número considerável de vazamentos. Diante do estado dessas tubulações, o abastecimento pode ser prejudicado quanto às vazões veiculadas e às pressões disponíveis. Assim, o índice de perdas de água na área central da cidade é alto, por conta dos rompimentos da rede de distribuição e do volume de vazamento de água tratada nos ramais prediais, causados principalmente pelo estado dessas redes e ramais.

A assessoria do Saae reforça que a setorização da rede de distribuição de água e a substituição da tubulação antiga vão garantir a regularidade e a qualidade na distribuição de água potável, além de possibilitar a redução do déficit hídrico urbano.

Índices

A redução do índice de perdas de água no município de Indaiatuba é uma ação prioritária do Plano das Bacias Hidrográficas dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ), que tem como meta atingir o índice máximo de perdas de distribuição de 25% até o ano de 2020.

O Plano recomenda que os municípios que apresentam um índice de perdas na distribuição entre 40% e 25%, devem reduzir esta perda em um ritmo de 5% ao ano até atingir a meta, e depois manter este índice abaixo dos 25%.

As obras na região central ocorrem por contrato firmado entre a Agência PCJ, Caixa Econômica Federal e Saae, e o orçamento destinado às obras é de R$ 2.871.916,02, sendo R$ 2.354.971,14 provenientes da cobrança pelo uso da água (Cobrança PCJ Federal), e R$ 516.944,88 de contrapartida da autarquia.

O cronograma prevê oito meses de trabalho, contados a partir da emissão da ordem de serviço (que foi dada esta semana).


Fonte:


Notícias relevantes: