Indaiatuba

Previsão é de que fila seja zerada

Durante a coletiva, o prefeito Nilson Gaspar (MDB) apresentou dados da saúde municipal. "Essa iniciativa é importante e irá praticamente zerar a fila para cirurgia vascular em Indaiatuba", destaca. "Hoje, realizamos 110 mil atendimentos por mês na cidade, sendo que 25% desse contingente são pessoas de fora, o que corresponde a 25 ou 30 mil pacientes."

O chefe do Executivo também reforçou a importância da participação da sociedade civil em ações sociais. "Pessoas físicas podem fazer doações para as entidades. Nosso objetivo maior é buscar a parceria da iniciativa privada. Estive em visita às empresas e vi muitas que querem ajudar, mas não sabem como. Vamos levar esse projeto para as empresas da cidade. Criamos o modelo que pode ajudar bastante, especialmente nos setores social, da saúde e da educação, que são os principais."

Para o presidente do Instituto de Gestão de Cidades (Igecs), Sergio Henrique Dias, a iniciativa pode angariar a participação de outras empresas. "Também tenho empresa e desenvolvemos projetos sociais. No caso das cirurgias vasculares, coube a mim a elaboração do termo do convênio com a Prefeitura; estamos muito felizes,pois trata-se de um projeto sério e que irá beneficiar muitas pessoas", observou. Já o diretor do Hospital Augusto de Oliveira Camargo (Haoc), Ronaldo José Garcia, lembrou que o hospital disponibiliza a parte instrumental, no dia da cirurgia, o que inclui também a UTI.


Fonte:


Notícias relevantes: