Indaiatuba

Num mesmo dia, 2 casos de feminicídio

Dois casos de feminicídio foram registrados em Indaiatuba no último sábado (24). As vítimas foram mortas no espaço de tempo aproximado de apenas duas horas. Os casos ocorreram em um condomínio no bairro Chácaras do Mosteiro e na Vila Brizzola.

Sabrina do Amaral Vecchi iria completar 40 anos no dia 25 de março, mas uma forte discussão com o marido depois de sua festa de aniversário terminou em um atropelamento que tirou sua vida. De acordo com a Guarda Civil, o casal foi visto brigando, após cada um descer de um veículo. Em seguida, o homem entrou na caminhonete e Sabrina se colocou na frente, bastante nervosa, quando foi atingida pelo veículo. Ela foi socorrida e encaminhada ao Hospital Augusto de Oliveira Camargo (Haoc), mas não resistiu.

Imagens do circuito interno do condomínio registraram a ação. O marido foi preso em flagrante. Testemunhas também afirmaram que ele estava alcoolizado. Embora ele tenha negado fornecer o sangue para exame no IML de Campinas, o teor alcoólico foiconfirmado no teste de dosagem alcoólica.

Conforme apurado, o homem soube da morte da esposa somente no domingo (25). Ele segue preso em Hortolândia.

30 facadas

Em outro ponto da cidade, Maria Rosemi dos Santos, 42 anos, foi agredida a facadas pelo ex-namorado, na Rua Joana de Bernardin Brizolla, no bairro Vila Brizola. Tudo começou porque o autor do crime viu Maria conversando com uma pessoa, próximo à residência dela.

Guardas civis que atenderam à ocorrência foram informados por testemunhas de que o homem começou a discutir com ela ainda na rua e a ameaçou, com a faca na mão. A vítima, então, correu para casa, mas foi alcançada pelo ex-namorado, que efetuou os golpes.

Ela levou 30 facadas, sendo 22 frontais e oito nas costas. Segundo o atendimento médico, o golpe no pescoço, com quatro centímetros, que atingiu a veia jugular, foi a causa da morte da ajudante de cozinha.

O agressor tentou fugir do local, mas foi detido por populares, que o espancaram com tacos de sinuca. Devido aos ferimentos, ele foi encaminhado ao Haoc, onde permanece internado em estado grave, sem previsão de alta. Maria, porém, recebeu atendimento no hospital, mas também não resistiu aos ferimentos e morreu logo em seguida.

O autor das facadas permaneceu preso e custodiado por policiais militares no Haoc até receber alta médica na tarde da última quinta-feira (29). Ele foi encaminhado à Cadeia Pública de Campinas.

O corpo de Maria Rosemi foi trasladado, na segunda-feira (26), para o município de Itabaiana, no Estado do Sergipe (SE), onde foi sepultado.

Em ambos os casos, os agressores respondem por feminicídio (crime contra a mulher), conforme inclusão VI no artigo 121, parágrafo 2º, do Código Penal.


Fonte:


Notícias relevantes: