Indaiatuba

Novo projeto de leitor digital será apresentado no dia 2

Imbróglio

Os passageiros dos ônibus municipais poderão ter uma resposta definitiva a respeito dos valores retidos nos bilhetes eletrônicos da Companhia de Transportes de Indaiatuba (Citi) na segunda-feira (2). A Prodata, empresa responsável pelo sistema de leitura dos cartões magnéticos dos veículos, irá apresentar o projeto executivo solicitado pelas operadoras (antiga e atual) e a Prefeitura.

A sugestão consiste em permitir que os leitores instalados nos ônibus da SOU, propriedade da Santa Cecília Turismo (Sancetur), aceitem também os cartões da antiga empresa de ônibus da cidade, a Viação Rápido Sumaré (Citi). Durante reunião feita no Ministério Público, no dia 22 de março, as partes concordaram que a Prodata deveria desenvolver o projeto que torne viável a iniciativa.

"A empresa ficou de montar o projeto executivo e apresenta-lo na próxima reunião no MP, que será na segunda, dia 2", explica Marcos Azevedo, responsável pelo sistema operacional da SOU Indaiatuba, que também participou do último encontro. "O projeto vai ser discutido e só então eles vão decidir se aceitam ou não."

Se tudo ficar acertado entre as partes, os usuários do transporte público poderão reaver os créditos retidos nos cartões Citi, mesmo utilizando os ônibus da SOU. "Vale lembrar que isso não é um processo simples", alerta Marcos. "Eu recebi o projeto e o apresentei à direção da Sancetur, que irá avaliar também se a mudança irá causar transtornos."

Segundo confirmado pela assessoria da Prefeitura, na semana passada, os representantes das empresas de transporte e o jurídico municipal vão se reunir no MP na tarde da próxima segunda-feira. Se houver formalização do acordo, a Citi terá o prazo de 15 dias para instalar os validadores nos veículos da SOU; e os passageiros, por sua vez, contarão com 60 dias para zerar os créditos.

Todavia, Marcos considera um prazo maior para os ajustes. "Se o projeto for aprovado, não será instalado já no dia seguinte; vamos precisar de aproximadamente 30dias, devido à necessidade de criarmos uma infraestrutura aqui na SOU. Além disso, a Citi também deverá ter acesso à visibilidade dos dados. Será um trabalho grande", argumenta.

Devolução

"Eu acho que a Citi tinha que devolver nosso dinheiro, afinal, eles sabem o quanto temos de créditos no cartão", opina Alessandra Gomes. "Para mim, passar o cartão da Citi não vai adiantar muito", emenda a vendedora Camila Teixeira, que possui cerca de R$ 100 retidos. "Como agora estou usando o cartão da SOU, o pessoal da loja insere os créditos direto nele todo mês. A solução seria eu pedir para pararem de descontar o transporte do salário."

Maria Aparecida Silva também é da mesma opinião. "Meu filho usava o cartão para o transporte, mas agora está desempregado, e seria melhor que ele tivesse o dinheiro de volta", diz. Conforme esclarece Marcos, a maioria das pessoas que possuem créditos retidos nos cartões da Citi é usuária do vale-transporte. "É mais comum as empresas inserirem valores cheios."


Fonte:


Notícias relevantes: