Indaiatuba

Vacinação contra gripe tem início e segue até 1º de junho

Saúde

Campanha nacional de vacinação contra a gripe terá início na segunda-feira (23). Em Indaiatuba, as doses estarão disponíveis nas unidades básicas de saúde (UBS) e nos postos do Programa de Saúde da Família (PSF). O "Dia D", quando ocorre uma intensificação da imunização, está previsto para 12 de maio (sábado). A campanha vai até 1º de junho. A Prefeitura estima que aproximadamente 50 mil pessoas sejam imunizadas no município.

Podem tomar a vacina gestantes e mães até 45 dias após o parto; crianças a partir dos 6 meses até 5 anos; adultos com mais de 60 anos; portadores de doenças crônicas; profissionais de saúde e professores de escolas públicas e privadas. Para receber a imunização, os portadores de doenças crônicas deverão apresentar carta médica contendo o CID da doença. Já os profissionais da saúde e professores deverão apresentar crachá ou algum documento que comprove a atividade.

Nas clínicas particulares a vacinação contra a gripe ocorre há pelo menos duas semanas. "Recebemos 5 mil doses e a procura tem sido intensa devido aos surtos em outras localidades do Brasil", comenta a enfermeira Heloísa Rigo. "Estamos atendendo em média 200 pessoas por dia." Ela esclarece que não há contraindicação para a vacina. "Se a pessoa estiver com a imunidade boa e não tiver tomando antibiótico, pode se imunizar sem problema", assegura.

Infecção

A influenza (gripe) é uma infecção viral aguda que afeta o sistema respiratório. A transmissão ocorre por meio de secreções das vias respiratórias da pessoa contaminada ao falar, tossir, espirrar ou pelas mãos, que após contato com superfícies recém-contaminadas por secreções respiratórias, pode levar o agente infeccioso direto a boca, olhos e nariz. A vacina recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS), destinada ao hemisfério sul, em 2018, oferece proteção contra os vírus influenza A/H1N1, influenza A/H2N3 e influenza B.

A secretária da Saúde, Graziela Garcia, afirma que aimunização contra a gripe é de "extrema importância" para os que estão inseridos no público-alvo. Ela informa, ainda, que a prevenção não pode ficar limitada à vacinação. "Especialmente nesta época do ano é fundamental lavar sempre as mãos com água e sabão ou usar álcool gel para higienizá-las e evitar ambientes fechados e com aglomeração de pessoas", recomenda. "Ao tossir ou espirrar, cubra a boca com a parte interna do braço. Essas orientações são muito simples, mas fazem toda a diferença, pois evitam a contaminação pelos vírus."

Além desses procedimentos, outras orientações são destacadas pela secretária: não compartilhar alimentos e objetos de uso pessoal, como toalhas, copos e talheres; manter os ambientes bem ventilados e, em caso de suspeita de gripe forte, procurar os serviços de saúde.

A diretora do Departamento de Vigilância em Saúde, Rita de Cássia Jiampaulo Ferraz Vaz, explica que é difícil diferenciar a gripe comum de outras mais severas, como as causadas pelos vírus H1N1 ou H3N2, por exemplo. "Os sintomas mais característicos da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) são: falta de ar, desconforto respiratório, aumento da frequência respiratória e queda de pressão. Na dúvida procure a unidade de saúde mais próxima", indica.


Fonte:


Notícias relevantes: