Indaiatuba

Programação celebra 85 anos do Haoc

Há 85 anos, mais precisamente no dia 27 de junho de 1933, o casal Augusto de Oliveira Camargo e Leonor de Barros Camargo inaugurava o hospital que trouxe mudanças significativas na qualidade de vida dos indaiatubanos. Oferecendo um serviço médico gratuito e mantendo-se até hoje como hospital filantrópico e autossustentável, o Hospital Augusto de Oliveira Camargo (Haoc) tem como mantenedora a Fundação Leonor de Barros Camargo.

Para comemorar a data, os quase mil funcionários foram convidados para participar da 1ª Caminhada do Haoc, no Parque Ecológico, no último domingo (24). A ação teve ainda aferição de pressão arterial e exame de glicemia, orientação alimentar e nutricional, e aula de alongamento e aquecimento antes de iniciar a caminhada.

O percurso abrangeu a partida na área próxima ao estacionamento, seguindo no sentido do fluxo de veículos até a Avenida Fábio Ferraz Bicudo, com retorno ao ponto de partida. Também foi realizado plantio de uma árvore para simbolizar a data.

Entre outras comemorações internas, na quinta-feira, dia 28 será celebrada missa de ação de graças celebrada pelo padre Luiz Antônio, a partir das 15h, na capela do hospital.

História

Por volta de 1920 o casal de paulistanos Leonor de Barros Camargo e Augusto de Oliveira Camargo, donos de algumas propriedades no interior de São Paulo, entre elas, uma fazenda de cultivo de café em Indaiatuba, ao constatar a impossibilidade de terem filhos, decidiram que seus bens deveriam ser transformados em obras sociais que fossem desfrutadas por toda comunidade carente.

Muito religiosa, Leonor sensibilizou-se com a precária assistência à saúde a que se submetiam os trabalhadores das fazendas existentes em Indaiatuba e procurou o padre da Matriz Nossa Senhora da Candelária. Ao tomar conhecimento de que não existia qualquer assistência aos mais necessitados, disse: "O senhor vê aquela colina bem na frente da porta de sua igreja? Pois será ali que os doentes serão acolhidos, pois ali serão tratados".

Com o auxílio e experiência dos profissionais que atuavam no primeiro hospital da capital paulista, a Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, o casal escolheu o arquiteto Ramos de Azevedo, que projetou o Teatro Municipal de São Paulo, para fazer o projeto do hospital.

Em 1921, Augusto teve um AVC que o deixou sem andar ou falar, embora continuasse lúcido. Mesmo diante da adversidade, Leonor não desistiu e conseguia se comunicar com o marido.

A construção do hospital começou no final de 1928 e, no dia 1º de junho de 1929 foi lançada a pedra fundamental de uma obra que representava aos munícipes não só uma maravilha arquitetônica, mas também um hospital com estrutura como muitos nunca haviam visto.

Indaiatuba era então um vilarejo com 5 mil habitantes que possuía, entre suas construções mais grandiosas, a estação ferroviária, o Casarão Pau Preto e a Igreja Matriz Nossa Senhora da Candelária.

Em carinhosa homenagem ao marido, Leonor escolheu o dia 27 de junho de 1933, data em que Augusto completava 82 anos, para a inauguração do hospital. Naquele dia houve missa e coquetel, porém, o que tornou a festa inesquecível foi o momento em que todas as luzes foram acesas, pois juntas gastavam três vezes mais energia do que toda a cidade de Indaiatuba.

Augusto de Oliveira Camargo morreu no dia 13 de julho de 1937, com 86 anos de idade, e Leonor de Barros Camargo em 6 de junho de 1944, aos 79 anos, passando a administração da fundação como mantenedora do Hospital Augusto de Oliveira Camargo, a ser feita por pessoas ligadas por parentesco das famílias, o que vem acontecendo ao longo do tempo por diversas gerações até os dias de hoje.

Em 1997 iniciou-se uma nova gestão, por intermédio da superintendência de Renato Sargo, marido de Regina de Paula Leite Moraes Sargo, sobrinha-bisneta de Leonor e Augusto. Até então o hospital mantinha a mesma estrutura física de sua inauguração, com uma área construída de 9 mil metros quadrados. Hoje, conta com 18 mil m², e somará 7.500 m² com o novo prédio que está sendo construído, que abrigará mais de 170 novos leitos de internação.


Fonte:


Notícias relevantes: