Indaiatuba

Prefeitura orienta sobre riscos da febre maculosa

SAÚDE

A Secretaria de Saúde orienta a população sobre os riscos da febre maculosa, doença transmitida pelo carrapato-estrela. Até o momento, o Estado de São Paulo apresentou 33 casos e 17 óbitos. Os dados do Ministério da Saúde mostram também que o número de casos registrados no país de janeiro a julho de 2018 está abaixo da média registrada em 2017, já que em todo o ano passado foram registradas 58 mortes. A febre maculosa tem cura e embora seja uma doença grave, se o diagnóstico e tratamento forem feitos de forma precoce as chances de complicações são muito menores.

A febre maculosa é uma doença infecciosa febril aguda. Os principais vetores e reservatórios são os carrapatos do gênero Amblyomma; o carrapato-estrela. De acordo com a Vigilância Epidemiológica, os equídeos, os roedores, como a Capivara, e os marsupiais, como o gambá, têm importante participação no ciclo de transmissão da febre maculosa.

Nos humanos, a febre maculosa é adquirida pela picada do carrapato infectado e a transmissão geralmente ocorre quando o carrapato permanece aderido ao hospedeiro por um período de, pelo menos 4 a 6 horas. Não há transmissão entre seres humanos, não sendo necessário o isolamento do paciente.

Sintomas

Entre os sintomas da doença estão febre associada a forte dor de cabeça; dores pelo corpo; cansaço; falta de vontade se alimentar; dor de barriga; ânsia de vômito e pequenas manchas pelo corpo, no período de dois a 15 dias após ter frequentado área de mata, pasto, rios ou lagos. É importante relatar ao médico todas as informações para facilitar o diagnóstico.

O tratamento precoce (dentro de cinco dias após os sintomas) com antibióticos reduz significativamente a mortalidade (de 5 a 20%) e previne a maioria das complicações. Se febre, dor de cabeça e mal-estar ocorrerem com ou sem erupção cutânea, os antibióticos devem ser iniciados imediatamente. Pacientes com formas mais graves da doença podem precisar ser internados para receber o auxílio de outras medicações.


Fonte:


Notícias relevantes: