Indaiatuba

Mais um 'Dia D' contra a pólio e o sarampo

O segundo "Dia D" da campanha de vacinação contra poliomielite e sarampo em Indaiatuba acontece neste sá-

bado (18). A imunização estará disponível em todas as unidades de saúde do Município, das 8h às 17h. A vacina também estará disponível, hoje e no próximo sábado (25), no mesmo horário, na Praça Dom Pedro II (Centro). A campanha nacional prossegue até o dia 31, em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS) e do Programa de Saúde da Família (PSF).

Devem ser imunizadas todas as crianças com idade entre 1 ano e menores de 5 anos. A Secretaria de Saúde alerta que todas as crianças na faixa etária indicada devem tomar a vacina, mesmo que já tenham tomado alguma dose anteriormente, uma vez que a campanha é indiscriminada. É necessário apresentar a carteira de vacinação.

A partir de segunda-feira (6) a vacina continuará disponível nas unidades de saúde de acordo com os horários de funcionamento das salas de vacina, que podem variar de uma unidade para outra. No dia 18 haverá o segundo "Dia D" de intensificação da campanha. Indaiatuba tem 11.050 crianças dentro da faixa de idade indicada para receber a vacina.

A vacina é contraindicada se a criança estiver com gripe muito forte e febre alta; para crianças com imunodeficiência congênita ou adquirida; neoplasia maligna; que estão em tratamento com uso de corticoides em doses elevadas ou quimioterapia e radioterapia.

As doenças

Popularmente conhecida como paralisa infantil, a poliomielite é uma doença infectocontagiosa viral aguda e foi responsável por danos irreversíveis para milhares de crianças no mundo. O último caso no Brasil ocorreu em 1989. As ações de prevenção e controle, em especial a vacinação, contribuíram para que, em 1994, o País recebesse da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) a Certificação de área livre de circulação do poliovírus selvagem do seu território, juntamente com os demais países das Américas.

Em Indaiatuba não há casos de sarampo desde 2004.A cobertura vacinal no município em 2017 foi de 80% e até julho deste ano, está em 49,2%. De acordo com o Ministério da Saúde, trata-se de doença infecciosa exantemática aguda, transmissível e extremamente contagiosa, podendo evoluir com complicações e morte, particularmente em crianças desnutridas e menores de um ano de idade. A transmissão ocorre de pessoa a pessoa, por meio de secreções respiratórias.


Fonte:


Notícias relevantes: