Indaiatuba

Vacinação atinge 70% do público-alvo em Indaiatuba

Reta final

Após a ação do 'Dia D' contra o sarampo e a poliomielite, realizada no último sábado (18), Indaiatuba atingiu 70% do público-alvo. Segundo o Ministério da Saúde, a meta é vacinar 95% das crianças entre um ano e menores de 5 anos de idade.

A vacinação ocorreu em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS) de Indaiatuba, na Praça Dom Pedro II e na Casa da Amizade. A campanha nacional teve início no dia 4 de agosto e segue até sexta-feira (31).

O município conta com 11.050 crianças na faixa etária indicada para receber a vacina e, de acordo com o Departamento de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde, até a segunda-feira (20), foram vacinadas 7.747 (70,11%) contra a poliomielite; e 7.715 (69,82%) contra o sarampo.

"Existe uma pequena diferença entre as doses, pois as vacinas virais precisam de um intervalo de 30 dias para não interferir na resposta imunológica", explica a diretora do Departamento de Vigilância em Saúde, Rita Vaz de CássiaJiampaulo Ferraz Vaz. "Então, a criança que tomou, por exemplo, a vacina de febre amarela ou varicela recentemente, precisa desse intervalo de um mês para tomar a vacina sarampo/caxumba e rubéola (SCR), aplicada durante a campanha nacional."

Para continuar fortalecendo a campanha, a Prefeitura mantém a vacinação nas feiras livres noturnas, no período das 17h às 21h, em frente ao Barco, às quartas-feiras, e em frente ao Centro de Convenções Aydil Pinesi Bonachella, todas as sextas-feiras.

As UBS também continuam com o atendimento, de acordo com o horário das salas de vacinas, de segunda a sexta-feira, sendo elas: Hospital Dia, UBS 2-Cecap, UBS Parque Indaiá, UBS Itaici, UBS 7-Morada do Sol, UBS 10-Califórnia, UBS João Pioli, UBS Aldrovandi, UBS Parque Corolla e UBS Campo Bonito, UBS Oliveira Camargo, UBS 9-Central, UBS Itamaracá, UBS Jardim Brasil, UBS 4-Morada do Sol e UBS Jardim do Sol.

A vacina é contraindicada se a criança estiver com gripe muito forte e febre alta; para crianças com imunodeficiência congênita ou adquirida; neoplasia maligna; que estão em tratamento com uso de corticoides em doses elevadas ou quimioterapia e radioterapia.


Fonte:


Notícias relevantes: