Indaiatuba

Ganem e Rogério se elegem deputados estaduais

Pela primeira vez na história, Indaiatuba terá dois representantes na Assembleia Legislativa de São Paulo. Bruno Ganem (Podemos), com 106.206 votos, e Rogério Nogueira (DEM), com 89.040, foram eleitos deputados estaduais para o quadriênio 2019/2022 e garantem que irão unir forças em prol do município e toda Região Metropolitana de Campinas (RMC).

"A expectativa era boa, mas é claro que fiquei surpreso, pela força do resultado", comenta Ganem, sobre os votos conquistados. No geral, ele

foi o 24º mais votado. "Sabíamos que o clima nas ruas estava muito bom e que o partido tinha uma condição de eleição muito diferenciada."

Sobre a campanha, revela sua estratégia. "Foi um trabalho temático. Dentro da questão do meio ambiente e da proteção animal, meu nome vem ganhando força há muitos anos e isso foi maturando. Em 2014, não tínhamos uma preparação eleitoral, mas tínhamos um nome dentro da causa", analisa. "Em 2018, tomamos o cuidado de fazer um trabalho mais objetivo, entender o que se pode fazer como deputado."

Para Ganem, a insatisfação com o momento atual da política também foi determinante. "Sinto que, devido às mudanças na política, conseguimos obter êxito. A comunicação hoje em dia está muito mais fácil. Tivemos votos em mais de 500 municípios", revela. "Foi um trabalho eletivo, onde pudemos testar o nosso grupo político. Ouvíamos muito, recebemos muito feedback, pessoas participando. O empenho de toda equipe foi essencial".

Para o ex-vereador, contar com dois nomes de Indaiatuba na Assembleia será positivo. "Vejo dois aspectos: causas locais que precisam ser trabalhadas no sentido de unir forças, como no caso do pedágio, em que temos posicionamentos idênticos", aponta. "Mas é lógico que existe aquele varejinho de deputado, que é correr atrás para trazer uma Unidade Básica de Saúde (UBS), uma verba para o asfalto, é saudável ter uma certa competição."

O Podemos elegeu quatro deputados estaduais e Bruno foi o mais votado. Pelo número de votos conquistados, espera ter um protagonismo dentro do partido. "Isso surge naturalmente, o que nos dá força", avalia. "Mais moral perante ao governador e a presidência do partido."

Ganem comentou ainda a possibilidade de disputar as Eleições 2020 para prefeito. "Discutimos isso bastante", revela. "Muita gente hoje quer que eu seja candidato a prefeito e se eu não for, vai ficar decepcionado. Mas muita gente quer que eu continue como deputado estadual. Temos dois anos pela frente. Vou me empenhar para ser o melhor deputado possível", afirma. "Um deputado não precisa renunciar para ser candidato, mas respeito muito, na política, o momento. Não adianta prever hoje. Em 2020, essa questão estará pacificada e as ruas irão respondê-la. Meu nome está à disposição e é evidente que nosso grupo político terá um candidato".

Rogério

Indo para seu quinto mandato, Rogério exalta sua experiência na Assembleia Legislativa. "Já errei bastante, mas em meu segundo mandato já fui líder do PDT por cinco anos. Agora, faz dois que estou na liderança do DEM, que elegeu sete deputados", comenta. "Isso me garantiu uma experiência muito grande, para conquistar e liberar verbas junto ao governo do Estado".

"Temos uma equipe jurídica eficiente, que conhece os atalhos do governo estadual e federal", analisa Rogério. "Essa experiência já passamos para outros municípios da RMC. Também precisamos ficar atentos para saber quem será o governador, pois temos problemas em Indaiatuba, como as escolas estaduais, que não tiveram atenção de José Serra ou Geraldo Alckmin." Segundo ele, o candidato João Doria (PSDB) se propôs a estudar sua proposta de municipalizar as escolas, com custeio do Estado. "Ele também analisará a questão do trevo da Toyota e a duplicação da avenida e da ponte de Itaici", revela. 

Sobre a eleição de Ganem, fez um aviso. "É bom para a cidade termos dois deputados estaduais, já que ele possui os seus próprios projetos", considera. "O importante é unir forças e devemos nos encontrar em breve, para mostrar que trabalharemos por Indaiatuba e região." 

Rogério garante que não se candidatará a prefeito a 2020. "Já tive oportunidades e não quis. Consegui desenvolver um bom trabalho no Legislativo", aponta, afirmando ainda que não deve ser líder do partido. "Não sei se quero, isso toma muito tempo. Quero estar livre para fazer o melhor mandato possível."


Fonte:


Notícias relevantes: