Internacional

Polícia afirma que manifestante idoso 'tropeçou e caiu' antes de vídeo viral expor a mentira

Polícia afirma que manifestante idoso 'tropeçou e caiu' antes de vídeo viral expor a mentira
Crédito: Reprodução/Internet

A polícia de Buffalo, Nova York divulgou um comunicado na quinta-feira alegando que um idoso que estava protestando contra a brutalidade policial havia "tropeçado e caído" em frente à Prefeitura de Buffalo antes de ser levado para o hospital. Mas tudo mudou quando o vídeo viralizou nas redes sociais mostrando que o homem de 75 anos havia sido empurrado pela polícia. O homem sem nome, que parecia estar sangrando pela orelha, está supostamente em "estado grave, mas estável",

"A polícia diz que uma 5ª pessoa foi presa durante uma briga com outros manifestantes e também acusada de conduta desordeira. Durante essa escaramuça envolvendo manifestantes, uma pessoa ficou ferida quando tropeçou e caiu", disse um porta-voz da Polícia de Buffalo em um comunicado obtido por um repórter local às 20h50 de

Presumabemente, a declaração policial é escrita em terceira pessoa para que os meios de comunicação locais possam apenas copiar e colar suas reivindicações sem atribuição. Mas a declaração inicial da polícia simplesmente não é verdadeira, como qualquer um pode ver pelo vídeo que foi postado pela primeira vez no Twitter às 21h13, menos de meia hora após as mentiras da polícia de Buffalo.

O idoso simplesmente não tropeçou e caiu. Ele foi violentamente empurrado pela polícia no mais recente exemplo de brutalidade policial contra manifestantes durante protestos internacionais após a morte de George Floyd, um homem negro de 46 anos em Minneapolis, por policiais brancos no Memorial Day.

O vídeo foi capturado por um funcionário da WBFO, uma afiliada local da NPR, e publicado no Twitter antes de ser espalhado por várias plataformas, incluindo Facebook, YouTube e Instagram. O vídeo atualmente tem mais de 43 milhões de visualizações apenas no Twitter na manhã de sexta-feira.

A imagem do idoso sangrando na calçada é perturbadora, mas o que é ainda mais preocupante é que nenhum dos policiais parece estar ajudando ele. Um oficial faz um movimento para aparentemente ajudar o homem, mas outro policial o afasta em uma das coisas mais insensas já capturadas em vídeo.

Não dos outros oficiais ajuda o homem de 75 anos enquanto o sangue sai de sua orelha, imóvel, exceto por sua mão caindo lentamente para o lado.

A polícia de Buffalo não emitiu uma declaração admitindo que mentiu sobre o incidente, mas o prefeito de Buffalo, Byron W. Brown, divulgou sua própria declaração dizendo que dois dos policiais foram suspensos sem pagamento.

"Esta noite, depois de uma briga física entre dois grupos separados de manifestantes que participavam de uma manifestação ilegal além do toque de recolher, dois policiais de Buffalo derrubaram um homem de 75 anos", disse Brown.

"A vítima está estável, mas em estado grave no ECMC. Fiquei profundamente perturbado com o vídeo, assim como o Comissário de Polícia de Buffalo Byron Lockwood. Ele dirigiu uma investigação imediata sobre o assunto, e os dois oficiais foram suspensos sem pagamento", continuou Brown.

Satado, nenhum dos policiais foi preso, algo que certamente aconteceria se este ataque violento fosse perpetrado por pessoas que não eram policiais. O governador de Nova York, Andrew Cuomo, tuitou ontem à noite que o incidente foi "injustificado e totalmente vergonhoso" e que "os oficiais envolvidos devem ser imediatamente suspensos até uma investigação formal"

.

Há vários ângulos capturados do incidente, incluindo um da afiliada local da ABC WKBW. E ainda assim WKBW se recusou a exibir o vídeo completo por algum motivo durante a transmissão de ontem à noite.

"Estamos parando o vídeo antes que o sangue apareça da parte de trás da cabeça", explicou o apresentador da WKBW Jeff Russo em um segmento que já está disponível no YouTube. É engraçado como os meios de comunicação locais se preocupam com imagens violentas quando a polícia culpa.

Cops continuam aterrorizando manifestantes pacíficos nas ruas americanas, com inúmeros novos vídeos de brutalidade policial emergindo durante a noite. Em Los Angeles, a polícia espancou manifestantes pacíficos com cassetetes no distrito de Fairfax, e em Nova York a polícia teria prendido observadores legais neutros. Policiais também lamentaram manifestantes pacíficos em Filadélfia.

Há muitos casos de brutalidade policial para documentar neste momento, como legisladores republicanos exigem táticas ainda mais duras contra os manifestantes. O senador Tom Cotton até aproveitou para pedir uma violenta repressão militar nas páginas do New York Times — no aniversário dos protestos na Praça tiananmen na China, não menos

Stay seguro lá fora, amigos. Ainda há uma pandemia acontecendo e a polícia só vai reprimir mais forte à medida que eles tomam suas sugestões do presidente Trump, um supremacista branco que fica mais fascista a cada dia. A Casa Branca agora tem esgrima elaborada lá fora e mais de 4.000 tropas da Guarda Nacional foram chamadas a Washington, D.C. para servir como protetores pessoais de bunker de Trump.

Os protestos não vão longe em breve, então também lembre-se que esta é uma maratona, não um sprint. O mundo inteiro está assistindo e as massas globais estão do lado dos manifestantes dos EUA. A polícia continuará aterrorizando americanos comuns, mas você não está sozinho, com protestos da Nova Zelândia à França à Suécia insistindo que vidas negras realmente importam.

Update, 12:40 ET: O Buffalo News identificou o manifestante de 75 anos como um ativista de longa data da paz chamado Martin Gugino.

Gugino cresceu em Buffalo, mudou-se para Cleveland, onde trabalhou em tecnologia de computador, antes de retornar ao oeste de Nova York, onde esteve envolvido em uma ampla gama de questões que vão desde o desarmamento nuclear até as mudanças climáticas e Guantánamo. Ele tem um canal no YouTube com 35 inscritos em que discute tais questões.

Remais, ele tem sido ativo em seu apoio ao Kings Bay Plowshares, um grupo de ativistas anti-nucleares que foram condenados por entrar em uma estação de submarinos nucleares na Geórgia, disse Bisson.

"Se você ficar por aí com essas pessoas Plowshares, seu conforto pessoal não é a primeira consideração; justiça é sua primeira consideração", disse Bisson.

Gugino também tem uma conta no Twitter, onde seus últimos tweets foram enviados cerca de duas horas antes de serem agredidos pela polícia.

"Os protestos estão isentos de toque de recolher porque o Congresso (e os prefeitos) não podem fazer leis que arissem o direito do povo de se reunir e reclamar ao governo", tuitou Gugino na quinta-feira. "O governo deve receber a denúncia com agradecimentos, não prender o povo ou espancá-los

."

Procurando maneiras de defender vidas negras? Confira esta list de recursos pelo nosso site irmão Lifehacker para saber formas de se envolver.


Fonte: Redação Tribuna Press


Notícias relevantes: